24 de novembro de 2014

Orgulho e Perdão...


Do remorso ao perdão há uma pequena distância, mas o espaço é grande o bastante para residir o orgulho.


Quem já não – ao ser tomado pelo ímpeto e na certeza de estar fazendo a coisa certa – feriu aquela pessoa com quem se convive? Seja numa resposta “atravessada” ou numa atitude grosseira contribuímos de alguma forma com a divisão ou o isolamento das amizades.

Passado algum tempo, já com a “cabeça fria”, percebemos que procedemos de maneira equivocada, ferindo pessoas ou até mesmo nos ferindo.

Refletir sobre o nosso ato nos ajuda a perceber o momento em que agimos precipitadamente; e dessa reflexão vem o remorso, o qual nos prepara para o pedido de desculpas.

Reconhecer que fomos precipitados nos argumentos, significa, muitas vezes, humilhar-se e se fazer pequeno, reconhecer que errou. Perdoar ou liberar perdão não é ter “amnésia” sobre o ocorrido, mas sim, disponibilizar-se a restabelecer o relacionamento abalado.

Do remorso ao perdão há uma pequena distância, mas o espaço é grande o bastante para residir o orgulho. Sentimento este que nos tentará convencer de que o ato de se desculpar ou reconhecer seu erro é atitude dos fracos.

Por outro lado, infelizmente, há pessoas que não aceitam as nossas desculpas. Preferem romper com os laços afetivos em vez de crescer e amadurecer por meio dos exercícios apresentados pela vida. Insistem em manter a irredutibilidade e a prepotência, que pensam possuir, em vez de dar o passo que romperá com as cadeias que as prendem. Talvez querendo cumprir a lei do “olho por olho, dente por dente”, esperam por um momento de revanche. Enquanto isso, desperdiçam tempo e amargam seus dias, remoendo o que já está resolvido para aquele que se dispôs a se desculpar.
A vida é muito curta para se gastar o precioso tempo com comportamentos que não trazem a sustentabilidade de nossas convivências. Pedir ou conceder perdão não nos exige mais do que podemos agüentar.

Sabemos de pessoas que gastam muito tempo buscando motivos para justificar suas infelizes atitudes, fazendo-se de injustiçadas, em vez de adotar gestos de humildade e agir de maneira diferente. Na verdade, elas são vítimas do orgulho, que mata pessoas e sentimentos!

Mais importante – do que lembrar que não devemos desculpar – seria fazer uso da faculdade de reflexão e reconhecer que ninguém está acima dos lapsos e erros. Pois aquele, que errou hoje, poderá ser você amanhã…

Não percamos tempo monopolizando picuinhas, ressentimentos ou retendo perdão. Se uma situação especial o faz refletir – levando-o ao ato da reconciliação –, peça ou dê o perdão e continue a viver com a experiência adquirida.

Situações mal resolvidas afetam outras áreas de nossa vida. Talvez por isso existam ainda alguns problemas não “equacionados” em nossas vidas pois, esses, são reflexos dos fragmentos dos “elos” que deixamos se perder ao longo do caminho.

Texto: Dado Moura



“O perdão não é apenas um sentimento a ser liberado, é uma DECISÃO A SER TOMADA, que nos cura espiritual, física e emocionalmente, além de libertar outra pessoa de uma culpa e também efetuar cura em sua vida!

PERDOAR É AMAR!

23 de novembro de 2014

Amigos Para Siempre (Eternal Friends)


Amigos verdadeiros, são para sempre porque...
não importa a distância, no coração estarão sempre perto.
não importam as diferenças, no coração sempre terão um ponto de acordo.
não importam as brigas, no coração sempre haverá lugar para o perdão.
não importam circunstâncias, sempre haverá um ombro para recostar, mãos para ajudar, olhos para enxergar e chorar de alegria e dor, bocas para expressar as verdades e sorrir.

Amigos, verdadeiros são para sempre, porque quando dois corações se unem, formando um só, DEUS se manifesta ali, através do amor e o amor é mais forte que a morte, é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.

Não se ufana, nem se ensoberbece, apenas ...ama, certamente permanece.


22 de novembro de 2014

Lindas Canções...




Hey




Como é grande o meu amor por você




Time To Say Goodbay Con te Partiró










21 de novembro de 2014

Viemos a este mundo...

Vamos partir do seguinte raciocínio: se viemos ao mundo é porque estávamos em outro lugar. Certamente, não era este mundo físico, donde se conclui que era outro tipo de mundo.

Alguns chamam esse outro mundo de espiritual outros de astral. Verifica-se que nós existíamos antes do nascimento. Mas, se não tínhamos um corpo físico, para viver no mundo espiritual, deveríamos ter um corpo, adequado àquele ambiente, e a lógica nos diz que só poderia ser um corpo espiritual.

Há uma vasta literatura que explica porque viemos a este mundo!

Todos nós podemos ter acesso a esses conhecimentos, pois não há mais fogueira para a queima de livros.

Para ser sintético, tentarei fazer uma analogia entre a nossa vida e a vida estudantil. Assim como o pai matricula seu filho na escola para que ele possa instruir-se e crescer intelectualmente, nosso pai, nos propicia um curso no qual cada existência corresponde a uma série escolar.

Conforme vamos assimilando os ensinamentos, somos promovidos, em nossa marcha evolutiva.

Todo sábio já foi uma criança analfabeta, assim como todo anjo já foi um demônio.

A Natureza não dá saltos (lembra?). E ninguém subirá se não for por seus próprios méritos.

Aproveite a vida para aprender e crescer espiritualmente.


Fonte: Laísa S.

20 de novembro de 2014

Ambição e Ganância

O dicionário Aurélio define do seguinte modo as palavras citadas:

Ambição - S. f.: 1. Desejo veemente de alcançar aquilo que valoriza os bens materiais ou o amor-próprio (poder, glória, riqueza, posição social, etc.). 2. Desejo ardente de alcançar um objetivo de ordem superior; aspiração, anelo. 3. Aspiração relativamente ao futuro. 4. Desejo intenso.

Ganância - S. f.: 1. Ambição de ganho. 2. Ganho ilícito; usura. 3. P. ext. Ambição desmedida.

Ganância e ambição andam de mãos dadas. Enquanto a ambição é a mola propulsora do sucesso, a ganância sai “atropelando” tudo e todos para alcançar seus objetivos. Ter ambição é desejar ardentemente; é depositar a mente e a vontade focalizadas num objetivo e se esforçar para que ele se concretize. Entretanto, a ambição sem medida apresenta um caráter muito negativo, pois foge aos limites da ética e do bom senso.

Todos nós precisamos cultivar um pouco de ambição em nossas vidas. Sem ela não há como traçar metas que nos levem ao sucesso, pois não encontraremos motivos para lutar e vencer.

O ganancioso é uma pessoa muito negativa, porque não consegue colocar limites em seus desejos. Suas atitudes são antiéticas e seus caminhos não são motivados pelo respeito ao próximo.

Quando ele conquista algo, esse algo logo perde o valor já que foi apenas um objeto a ser conquistado e não a realização de sua alma. Para este, a busca pelo sucesso é apenas um objeto a mais a ser colecionado: casas, lojas, fábricas, etc.

O homem ambicioso tem grandes planos, mas ao contrário do ganancioso, ele busca realizá-los de acordo com o chamado de sua alma.

Dentro essa ótica, o profissional e a empresa ambiciosos desejam ardentemente vencer, mas usam estratégias limpas, sem precisarem burlar as leis do país, roubar, e praticar atos ilícitos.

Uma coisa você não deve esquecer nunca:
Torna-te aquilo que fazes para o BEM ou para o MAL.

Izzo Rocha

19 de novembro de 2014

Quem pratica o BEM.....



“Olhe para o lado e veja quantos precisam de um simples apoio, de uma palavra, de uma ação da sua parte para aliviar uma angústia, uma tristeza. 
O que você está esperando?” 

(Izzo Rocha) 

17 de novembro de 2014

Perdoar...

Saber perdoar a si mesmo e a quem nos fez mal pode não ser fácil, exige maturidade. É uma atitude necessária para se libertar de rancores, evitar doenças e tocar a vida adiante.
Perdoar alguém que lhe fez mal acaba com um ciclo de pensamentos negativos, que só servem para nos derrubar. Perdoar limpa o coração da raiva e da mágoa.

Pense nisto!


16 de novembro de 2014

Multifuncional


Você já ouviu esta frase?

“Quando olhar para uma floresta observe todas as árvores, não se detenha apenas em uma“,

É exatamente isto que a vida hoje exige do cidadão, ou seja, não fique limitado a uma única árvore, amanhã ela morre e você também.

Obtive o meu primeiro emprego aos 18 anos de idade, iniciando assim a minha vida profissional. O curioso é que mesmo sem qualquer orientação mas simplesmente por inspiração, curiosidade e agilidade, procurei aprender todos os serviços possíveis. Isto foi excelente, pois em apenas dois anos no banco, me tornei Gerente Administrativo.

Foi uma carreira meteórica, conquistada pela determinação, coragem, dedicação, esforço, competência, honestidade e lealdade com amigos e parceiros profissionais.

Sinto um orgulho muito grande do meu rápido crescimento profissional, principalmente por que ele foi realizado com honestidade e sinceridade, em momento algum enganei ou traí qualquer amigo ou parceiro na minha caminhada. Isto tanto é verdade que ao ser promovido passei a gerenciar todos os meus ex-chefes (exatamente aqueles me ensinaram os serviços) e por todos fui aceito. A diferença que houve entre mim e eles é que sempre observei todas as árvores da floresta e eles não, preferiram observar apenas uma árvore tornando-se somente especialistas. Eles se acomodaram, não tiveram inspiração, porém reconheceram suas limitações.

Assim sendo, diante da oportunidade de promoção surgida, fui candidato único a vaga, pois somente eu detinha o conhecimento geral de todas as atividades da empresa. 

Mesmo sem saber eu havia me tornado um funcionário multifuncional (conceito que não existia na época).
  
A partir deste momento me tornei um autodidata, que significa “pessoa capaz de aprender sem ajuda de mestres” e assim serei até quando Deus permitir.

Tenho um pensamento que diz:
“Seja multifuncional, estude sempre, aprenda no mínimo o básico de tudo que puder."

No mundo atual as empresas passaram a procurar e valorizar os funcionários multifuncionais, pois eles conhecem e desempenham várias funções e/ou atividades.

Eles possuem capacidade de se adequar nas mais diversas situações.

Ser multifuncional é uma decisão inteligente, PENSE NISTO!

Até a próxima, pessoal!                                 

Izzo Rocha

.


15 de novembro de 2014

A Águia...

Faça como as Águias:


Quando a sua frente pairarem nuvens ameaçadores, faça como as Águias, não dobre suas asas, não fuja para o abrigo. A Águia abre largamente as suas asas e decola para bem alto, acima dos problemas que a vida traz. A Águia sabe que quanto mais alto voar, mais tranqüilos e brilhantes tornam-se os céus. 

A Águia voa alto, por isso o caminho delas é no céu. Ela não foi criada para viver arrastando-se nos vales da vida e nas depressões da terra. Deus a criou para as alturas, ela não é como o inhambu, presa fácil que vive levando tiro na asa só porque voa baixo.

A Águia voa em linha reta como uma flecha, um projétil, seu voo não é em circulo e nem sinuoso.

A Águia voa na dependência do vento. As asas da Águia são enormes, desproporcionais em relação ao tamanho do seu corpo. Por fazer vôos altos e longos ela não poderia ruflar as asas como um beija-flor. Se cansaria muito e não poderia ficar no ar por muito tempo, por isso ela precisa de asas grandes e fortes, em tudo Deus tem um propósito. Assim quando ela galga as maiores alturas, simplesmente abre suas asas e sai planando, deixa que a força do vento a carregue.

A Águia tem visão integral, ela enxerga em todas as direções, ângulos e perspectivas. Ela tem discernimento. A visão é um dos prodígios mais fantásticos e extraordinários da criação.

A Águia não aceita viver cativa, ela ama a liberdade e tem intimidade com as alturas, não sabe viver em cativeiro, não consegue viver em gaiolas. Ela morre mas não fica cativa. Ela não aceita outra condição para a sua vida que não seja a liberdade.


A Águia isola-se no alto dos penhascos, ela não voa em bandos.


A águia é um “cônjuge” fiel. Só procurará outro par se enviuvar. Jamais se junta com a parceira ou o parceiro de outra águia!

O teste para descobrir o par ideal é feito pela fêmea: ela põe o macho à prova num ritual que decorre a uma altitude entre os três mil e os cento e cinquenta metros.


A fêmea ergue um pau no bico e sobe com ele a uma altitude de cerca de três mil metros. Depois deixa-o cair e observa a prontidão e destreza do macho ao mergulhar num vôo picado para o apanhar. Repete este ato inúmeras vezes, até deixar cair o pau a cerca de cento e cinquenta metros do solo. O macho hábil conseguirá  apanhá-lo antes de ele tocar na terra. Dessa forma a águia fêmea pretende descobrir como será o macho como pai das crias que ambos tiverem. Ela sabe que os filhotes cairão do ninho. Sabe que eles serão voadores incapazes e fracos a princípio e ela sabe também que precisará de ajuda. Um pai forte e dedicado terá então um valor inestimável para a preservação da família.

Além disso, o macho que desistir antes de completar o teste demonstrará pouco interesse, pouco empenho, pouco compromisso. A futura águia-mãe não quer correr o risco de se associar a um macho inseguro e incapaz. É espantoso como a ave que não teme as tempestades que assustam qualquer um, teme assumir um compromisso com o parceiro errado.


Ah! Se nós fossemos como as águias! Se nós soubéssemos esperar e escolher e pôr à prova, antes de nos comprometermos – que diferença isso faria neste mundo de lares desfeitos e de dor, de pais sozinhos, solitários, desesperados, e de filhos abandonados, divididos, muito mais solitários ainda, muito confusos, muito descrentes dos valores da família e dos valores do lar.

Há tantos filhos com duas famílias, sem que nenhuma delas seja realmente a sua família; com dois pais, duas mães e uma mistura difícil de irmãos; com duas realidades de vida tão diferentes; com tanta raiva e tanta revolta dentro de si. E tudo começa com uma escolha errada, uma falta de compromisso, uma atitude de impaciência. Amar é coisa de gente crescida, amar implica maturidade, compromisso, lealdade e fidelidade.

Amar é também uma decisão para toda a vida. Que Deus nos abençoe e nos aumente a capacidade de amar as pessoas que são da nossa responsabilidade, a quem nós prometemos fazer felizes e ficar ao seu lado, em qualquer circunstância, até que a morte nos separe.

Fonte:
Clarisse Barros
Mistério de Jeová
Sunshine 


11 de novembro de 2014

Cuide do Coração


Ele é o seu ponto básico.

O centro de suas inclinações para o bem ou para o mal. Para onde o pender, para lá você irá. Pode ser para o céu ou para o inferno.

Coração é sentimento.

São "ondas" poderosas que se centram na mente em regime de profunda consonância com os pensamentos.

Não faça do seu coração um instrumento para prejudicar, ferir, amaldiçoar. 
Ele foi colocado no seu peito só para amar.

Deus se alojou no seu coração para estar sempre com você.




8 de novembro de 2014

As nascentes estão secando, como resolver?


A escassez de chuva nas últimas semanas vem comprometendo o abastecimento de água e isso tem preocupado muitas pessoas. Nascentes, córregos e rios estão com o volume de água bem abaixo do esperado, para um período que deveria ter chuvas regulares. 

Proprietários de terra que dependem da água para manter as atividades diárias de suas propriedades vêm enfrentando uma série de desafios para conseguir manter seus reservatórios com uma quantidade mínima para o uso. Falta água para o gado, para irrigar lavouras e até mesmo para o uso doméstico. Nos grandes centros urbanos a água não esta sendo suficiente para recarregar os reservatórios das estações de tratamento o que tem comprometido o abastecimento em hospitais, escolas e residências. 

Esta situação se agrava ainda mais quando associada à degradação ambiental. “As áreas de topos de morro e encostas, quando protegidas pela mata nativa contribuem para a recarga de água do solo permitindo a infiltração da água das chuvas para o abastecimento das nascentes. Em áreas totalmente degradadas esta função é perdida, provocando as enxurradas, os deslizamentos de terra e até as enchentes devido o grande volume de água das chuvas que, ao invés de infiltrar no solo, escorre diretamente para os cursos d´água”, explica a Bióloga Flavia Balderi, Secretária Executiva da Copaíba.

As margens dos rios e entorno de nascentes também são áreas fundamentais para a proteção da água. Essas áreas, quando protegidas pela vegetação nativa, contribuem principalmente para reduzir a erosão do solo evitando o assoreamento dos cursos d´água. 

Fica evidente que uma das soluções para reverter esta situação é a recuperação de florestas e a proteção de nascentes. A Copaíba tem apoiado pequenos proprietários de terra na recuperação de suas matas. Até hoje, já foram plantadas mais de 245.000 mudas em
1.900.000 m2 de áreas degradadas. Todas essas matas nativas que estão sendo recuperadas, juntas, contribuem para a conservação da Mata Atlântica, para a formação de corredores ecológicos, contenção de erosões e assoreamento dos rios e nascentes e também para a infiltração de água no solo, abastecendo essas nascentes que estão secando.

Os Proprietários de terra que desejarem contribuir para a preservação e proteção da água podem entrar em contato com a Associação Ambientalista Copaíba e solicitar informações para se tornar um parceiro do Verde Novo. As vantagens desta parceria são inúmeras e uma delas é o cadastro gratuito da propriedade no CAR- Cadastro Ambiental Rural. 
Fonte: Copaíba

Seca faz nascentes na Serra da Canastra perderem um quilômetro de extensão.


 

Depende de nós a preservação e fazermos todos juntos um mundo Melhor!


"Água é VIDA"


7 de novembro de 2014

O Cobrador...


Depois de um dia de caminhada pela mata, mestre e discípulo retornavam ao casebre, seguindo por uma longa estrada.

Ao passarem próximo a uma moita de samambaia, ouviram um gemido. Verificaram e descobriram, caído, um homem.

Estava pálido e com uma grande mancha de sangue, próximo ao coração. O homem tinha sido ferido e já estava próximo da inconsciência.

Com muita dificuldade, mestre e discípulo carregaram o homem para o casebre rústico, onde trataram do ferimento.

Uma semana depois, já restabelecido, o homem contou que havia sido assaltado e que ao reagir fora ferido por uma faca. Disse que conhecia seu agressor, e que não descansaria enquanto não se vingasse. Disposto a partir, o homem disse ao sábio:

- Senhor, muito lhe agradeço por ter salvo minha vida. Tenho que partir e levo comigo a gratidão por sua bondade. Vou ao encontro daquele que me atacou e vou fazer com que ele sinta a mesma dor que senti.

O mestre olhou fixo para o homem e disse:

- Vá e faça o que deseja. Entretanto, devo informá-lo de que você me deve três mil moedas de ouro, como pagamento pelo tratamento que lhe fiz.

O homem ficou assustado e disse:

- Senhor, é muito dinheiro. Sou um trabalhador e não tenho como lhe pagar esse valor!

- Se não podes pagar pelo bem que recebestes, com que direito queres cobrar o mal que lhe fizeram?

O homem ficou confuso e o mestre concluiu:

- Antes de cobrar alguma coisa, procure saber quanto você deve. Não faça cobrança pelas coisas ruins que te aconteçam nessa vida, pois essa vida pode lhe cobrar tudo que você deve. E com certeza você vai pagar muito mais caro. A vingança nos torna iguais ao inimigo; o perdão faz-nos superiores a ele.

"O fraco jamais perdoa, o perdão é característica do forte."

( Mahatma Gandhi ) 


Fonte: Fórum Espírita

5 de novembro de 2014

É Mágoa....




“Mágoa. A dor que vai além da dor”.
(Côn. Manuel)

O Evangelho de Lucas nos seus vinte e quatro capítulos é rico em parábolas. Em cada capítulo e parábola uma metodologia pedagógica engrandece a vida espiritual e, sobretudo, o que Jesus nos quer dizer ao coração, como seus discípulos e missionários.

Entre todas as parábolas nos interessa refletir aquelas que levam à mágoa. No agitado mundo em que vivemos; no limiar da realidade que se apresenta a cada dia; nas íngremes situações que almejam as festividades das novidades, muitas vezes inesperadas, magoar alguém não é tão difícil.

A qualquer hora, uma conversa, uma situação pode-nos atingir e, assim, esse desafeto, ganha nossa pessoa. Podemos lembrar aqui a grande mágoa /dor de Madalena (Lc 8, 2; Mc 16, 9), que tanto sofreu nos comentários daqueles que lhe queriam atirar a pedra.

A quem interessava a intensidade da primeira pedra? No fundo a mágoa é um “transferir para outrem a degradação que temos em nós”, nos assevera Simone Weil. 

Quando Zaqueu (Lc 19, 1-5) quis ver Jesus, imagine o quanto não estava sofrendo interiormente, com a vida que levava. Ele mesmo se magoava. Este publicano fez de sua situação um grande momento para se aconchegar ao Mestre e mudar de vida.

Daqui podermos admirar as palavras de Izzo Rocha: “Reconhecer o erro ou uma maldade praticada é o primeiro passo para o perdão”.

Hoje, ao vivenciarmos as prontas respostas, desde os jovens aos adultos; o querer ter sempre razão, sem escutar o outro e o se engalanar com palavras que mais parecem uma artilharia, não é novidade se a mágoa nos atingir.

A mágoa nada mais é do que uma mancha ou nódoa proveniente de contusão. Ela enche o sentimento de desgosto, amargura, pesar e tristeza. Aos poucos, essa sensação causa uma impressão desagradável causada por ofensa, chegando aos mais altos índices do descontentamento e atingindo seu grande objetivo que é a pessoa.

Com essas considerações, apresentadas pelo dicionário Aurélio, vamos descobrindo que a mágoa “altera as estações e as horas de repouso, fazendo da noite dia e do dia noite”, nos alerta William Shakespeare.

A mágoa, em sua estrutura, atua no mais vulnerável de nossa sensibilidade e, acessando suas forças, deterioriza os afazeres quotidianos. Por isso, a quem interessa a mágoa? Contudo, em sua metodologia, ela, aprimora o verdadeiro conteúdo do perdão.

Já nos diz Silvana G. Luiz: “O antídoto mais potente contra a mágoa é o sincero perdão”. A mágoa, no fundo, nos amadurece. Sua arte de dirigir enriquece nossas atitudes, palavras e a prática de nossas ações. Ela move nossa maneira de ver o outro e até onde podemos ir. Quem já passou por esse momento, sabe que essa dor pode ser um investimento, que a vida nos dá, para um amadurecimento.

A mágoa atinge todo o corpo. Ninguém sabe onde ela começa e onde termina. Sua marca deixa um “dolorido” em todo o nosso ser. Sua ação usa todo um conjunto de técnicas, onde os processos utilizados ultrapassam as palavras humanas.

Só o sentimento se acha autorizado a outorgar uma sensação, mobilizando um sinal para acionar esta afronta. Esta mácula esfria nossa vontade de ver as coisas, mas por outro lado, aumenta a prática do bem viver o amanhã. Não esqueça, a mágoa, é um investimento que a vida nos dá para amadurecermos.

Esta ignomínia, a mágoa, quando nos visita, muitas vezes sem pedir licença, ocupa todas as repartições da personalidade, do caráter, da maneira de ser e, ainda, nosso coração e consciência. Esta mancha nos transforma deixando vestígios que só o tempo pode curar. Farmácia alguma, por mais equipada que esteja, não tem nem remédio nem formula para esta dor. Contudo, quem se habilita a vê-la como um aprendizado, encontra nela altas lições, onde, no silêncio, estuda o que pode aprender com este estigma. Seu método, embora doloroso, pede a nós uma atenção especial para acolhermos sua mensagem.

Se com tudo podemos aprender a tirar grandes lições para a vida, com a mágoa não é diferente. O que a vida nos oferece não podemos jogar fora. A mágoa, apesar de ser censurada e nos colocar em situações desagradáveis, pode ser uma grande oportunidade de você e eu revermos nossas atitudes, permitindo, assim, escutar com mais atenção o que o outro diz ou o que dizemos ao outro. Pense nisso.

Côn. Dr. Manuel Quitério de Azevedo
Professor do Seminário de Diamantina e da PUC – MG
Membro da Academia de Letras e Artes de Diamantina – MG
Membro da Academia Marial – Aparecida – SP

  
Meus agradecimentos ao Reverendíssimo Cônego pela citação de frase de minha autoria e a Arquidiocese de Diamantina pela publicação e divulgação.


Izzo Rocha


4 de novembro de 2014

Tente Lembrar...


Tente lembrar 
se alguma vez Jesus te abandonou

Tente lembrar
quantas vezes ele já te levantou

Uma mensagem para quem esta precisando de uma palavra amiga!






Clique no vídeo abaixo:






3 de novembro de 2014

Sabedoria...


Quando você conseguir superar
graves problemas de relacionamento,
não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado
mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde,
não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na bênção de Deus que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades. Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor; outros, só um emprego.

Uns queriam uma refeição mais farta; outros, só uma refeição.

Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos; outros, ter pais.

Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.
Uns queriam silêncio; outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo; outros, ter pés.

Uns queriam um carro; outros, andar.
Uns queriam o supérfluo; outros, apenas o necessário.

Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.

A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.

Tenha a sabedoria superior. Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera;
a inferior, julga;
a superior, alivia;
a inferior, culpa;
a superior, perdoa;
a inferior, condena.

Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!


(Chico Xavier)




2 de novembro de 2014

Fobia Social...


A fobia social é um medo persistente e irracional de situações que envolvem a análise ou o julgamento feito por outras pessoas, como festas e outros eventos sociais.
Pessoas com fobias sociais temem e evitam situações nas quais podem ser julgados por outras pessoas. Pode surgir na adolescência e pode ter relação com pais super protetores ou oportunidades sociais limitadas. Homens e mulheres são afetados igualmente por este transtorno.
Para pessoas com fobia social há um alto risco de terem dependência de álcool ou outras drogas, porque elas podem vir a contar com bebidas e drogas para relaxar em situações sociais.
O médico observará o seu histórico de fobias e obter uma descrição comportamental sua, da sua família e de seus amigos.
Os sinais incluem:
  • Pressão sanguínea elevada
  • Batimento cardíaco acelerado
Consulte o seu médico ou profissional de saúde mental se o medo estiver afetando o seu trabalho e relacionamento com outras pessoas.

Sintomas de Fobia social:

 

Pessoas com fobia social ficam muito ansiosas e autoconscientes em situações sociais diárias. Têm um medo intenso, persistente e crônico de serem observadas e julgadas por outras pessoas, e de fazer coisas que possam embaraçá-las. Podem preocupar-se por dias ou semanas antes de uma situação temerosa. Este medo pode tornar-se tão grave que interfere no trabalho, na escola e em outras atividades rotineiras, e pode dificultar na hora de fazer ou manter amizades.
Apesar de muitas pessoas com fobia social perceberem que seus medos de estar com outras pessoas é excessivo ou irracional, elas não conseguem superá-los sozinhas.
A fobia social pode ser limitada a uma situação (como falar com pessoas, comer ou beber, ou escrever na lousa na frente de outras pessoas). Ou, pode ser tão amplo (como na fobia social generalizada) que a pessoa sente ansiedade perto de quase qualquer outra pessoa que não seja da família.
Sintomas físicos frequentes com a fobia social incluem:
  • Enrubescimento
  • Dificuldades para falar
  • Náusea
  • Sudorese intensa
  • Tremores
A fobia social é diferente de timidez. Pessoas tímidas conseguem cumprir funções sociais. A fobia social afeta a habilidade de funcionar no trabalho e em relacionamentos.
Alguns dos medos mais comuns de pessoas com fobia social incluem:
  • Frequentar festas ou outras ocasiões sociais
  • Comer, beber e escrever em público
  • Conhecer novas pessoas
  • Falar em público
  • Utilizar banheiros públicos.

Fonte: “Minha Vida”



Leia Também:

30 de outubro de 2014

O que é Saudade?


Saudade é solidão acompanhada, é quando o amor ainda não foi embora, mas a pessoa amada já. 

Saudade é amar um passado que ainda não passou, é recusar um presente que nos machuca, é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais. 

Saudade é o inferno dos que perderam, é a dor dos que ficaram para trás, é o gosto de morte na boca dos que continuam... 

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade: 
aquela que nunca amou. 

E esse é o maior dos sofrimentos: não ter por quem sentir saudades, passar pela vida e não viver. 
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

(Pablo Neruda)


Pablo Neruda (Parral, 12 de Julho de 1904 - Santiago, 23 de Setembro de 1973) foi um poeta chileno, bem como um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX e cônsul do Chile na Espanha (1934  1938) e no México.

29 de outubro de 2014

Ser seu amigo...


Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos... 

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido... Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre...

Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe?

Podemos nos telefonar... conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo...

Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!!! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos... 

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades, sejam a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!

Vinícius de Moraes



Leia Também:

A Vida:

http://izzorocha.blogspot.com.br/2011/07/pensamento-do-dia_25.html


Cuidado com este Alguém:

http://izzorocha.blogspot.com.br/2013/03/somos-especiais.html