17 de dezembro de 2014

Lição de Vida.

             

Um jovem foi se candidatar a um alto cargo em uma grande empresa. Passou na entrevista inicial e estava indo ao encontro do diretor para a entrevista final. O diretor viu seu CV, era excelente. E perguntou-lhe: 
- Você recebeu alguma bolsa na escola? - o jovem respondeu - Não.
- Foi o seu pai que pagou pela sua educação?
- Sim - respondeu ele.
- Onde é que seu pai trabalha?
- Meu pai faz trabalhos de serralheria.
O diretor pediu ao jovem para mostrar suas mãos.
O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.
- Você já ajudou seu pai no seu trabalho?
- Nunca, meus pais sempre quiseram que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.
O Diretor lhe disse:
- Eu tenho um pedido: quando você for para casa hoje, vá e lave as mãos de seu pai. E venha me ver amanhã de manhã.
O jovem sentiu que a sua chance de conseguir o trabalho era alta!
Quando voltou para casa, ele pediu a seu pai para deixá-lo lavar suas mãos.
Seu pai se sentiu estranho, feliz, mas com uma mistura de sentimentos e mostrou as mãos para o filho. O rapaz lavou as mãos de seu pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que as mãos de seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele se arrepiou quando ele a tocou.
Esta foi a primeira vez que o rapaz se deu conta do significado deste par de mãos trabalhando todos os dias para pagar seus estudos. As contusões nas mãos eram o preço que seu pai teve que pagar por sua educação, suas atividades escolares e seu futuro.
Depois de limpar as mãos de seu pai, o jovem ficou em silêncio organizando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por um longo tempo.
Na manhã seguinte, o jovem foi encontrar-se com o Diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do moço quando ele perguntou:
- Você pode me dizer o que você fez e aprendeu ontem em sua casa?
O rapaz respondeu:
- Lavei as mãos de meu pai e também terminei de limpar e organizar sua oficina. Agora eu sei o que é valorizar, reconhecer. Sem meus pais, eu não seria quem eu sou hoje... Por ajudar o meu pai agora eu percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família.
O diretor disse:
- Isso é o que eu procuro no meu pessoal. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que não coloca o dinheiro como seu único objetivo na vida. Você está contratado.
Uma criança que tenha sido protegida e habitualmente dado a ela o que quer, desenvolve uma mentalidade de "Tenho direito" e sempre se coloca em primeiro lugar. Ignora os esforços de seus pais.
Se somos esse tipo de pais protetores, estamos realmente demonstrando amor ou estamos destruindo nossos filhos?
Você pode dar ao seu filho uma casa grande, boa comida, educação de ponta, uma televisão de tela grande... Mas quando você está lavando o chão ou pintando uma parede, por favor, o faça experimentar isso também . Depois de comer, que lave os pratos com seus irmãos e irmãs. Não é porque você não tem dinheiro para contratar alguém que faça isso; é porque você quer amar do jeito certo. Não importa o quão rico você é, você quer entender. Um dia, você vai ter cabelos brancos como a mãe ou o pai deste jovem.
O mais importante é que a criança aprenda a apreciar o esforço e ter a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.
(Tradução da postagem de Adri Gehlen Korb)




13 de dezembro de 2014

Amor




Hoje vou falar do mais nobre dos sentimentos, vou falar de “AMOR”.
Muitos confundem Amor com Paixão.

Amor é orgulho, respeito, confiança, admiração, desejo, companheirismo, doação, sinceridade, cumplicidade, lealdade, perdão, saudade. É compartilhar erros, defeitos e virtudes. É o sentimento profundo e sem limites de carinho e afeto por alguém independente das situações, problemas e dificuldades que possam surgir.  

A Paixão é apenas desejos e sonhos, é limitada a um período, a um momento e acabará caso não se transforme em amor. O Amor, entretanto é eterno, é infinito, perpetua-se além da vida!

Quando um homem e mulher se tocam num olhar de Amor não há força que os separe! Passe o tempo, passe o que passar! A noite vem, o dia vai...

Há uma estrela solta pelo céu da boca se alguém diz "TE AMO..."

Infelizmente hoje com a promiscuidade existente, muitas pessoas deixaram de acreditar no Amor, e isso geralmente acontece depois de vivenciar experiências ruins, como traição, falta de confiança, humilhação etc.
Não se faz amor com quem não se ama, isto é apenas fazer sexo. Fazer amor é completamente diferente. É sentimento profundo, é entendimento, carinho, desejo, é envolvimento é entrelaçamento das almas queridas.

Nada resiste ao amor, nem mesmo a morte!
Amor é o sentimento de Deus por todas as suas criaturas, é inabalável.

Fica a dica!

Obrigaduuuuuuuuuuuu...
Izzo Rocha



Eterno:  O que sempre existiu, que não tem começo e nem fim. 
Exemplo: Deus. 

Infinito : O que não tem como ser medido, não tem fim. 
Exemplo: o Universo.




12 de dezembro de 2014

O Erro...


Quem é que nunca fez nada de errado?

Naturalmente, todos nós, algumas vezes na vida, cometemos erros, seja intencionalmente ou não.

O erro faz parte do aprendizado.

Por trás de todo erro está a ignorância, o orgulho, ou o egoísmo.
O ignorante erra por desconhecer, o orgulhoso por se julgar mais importante do que as demais pessoas e o egoísta por pensar somente em si.

O que caracteriza o erro não são os padrões sociais ou as diretrizes éticas estabelecidas, mas sim suas consequências sobre o indivíduo e a sociedade.

O que torna algum gesto desacertado são os seus efeitos malignos.
Erramos quando nossos atos ferem alguém. Quando invadimos o direito à felicidade do próximo. Quando destruímos, ao invés de construir.

Numa palavra, erramos sempre que geramos sofrimento para os outros ou para nós mesmos.

Por estar vinculado ao sofrimento, vemos que o erro não é um bom negócio. Entretanto, se formos sábios, saberemos tirar frutos dele.

De uma forma muito especial, Deus sempre cuida para que, dos nossos equívocos, tiremos algo de bom.

Isto acontece por meio da Lei de Causa e Efeito, que faz com que todo o bem, como todo o mal realizado retorne ao seu realizador.

No campo dos sofrimentos isto se chama expiação.

Mas para tornar o processo menos penoso, podemos recorrer ao arrependimento e à reparação.

Arrepender-se é, portanto, o primeiro passo na correção de um desatino.

Existem pessoas que só se arrependem dos seus erros quando estão colhendo as consequências.

Quanto mais demoramos a nos arrepender, mais sofremos.
O arrependimento deve provocar um desejo de reparação, que consiste em fazer o bem a quem se havia feito mal.

Mas nem todas as faltas implicam em prejuízos diretos e efetivos.
Quer dizer, nem sempre teremos de expiar, ou sofrer.

Nesses casos, a reparação se opera fazendo-se o que deveria e foi negligenciado. Cumprindo deveres desprezados, missões não preenchidas.

Quem tem sido orgulhoso, buscará tornar-se humilde. O rude procurará ser amável. O ocioso passará a ser útil e o egoísta, caridoso.

Costuma-se dizer que errar é humano. Nós poderíamos inverter o raciocínio dizendo que corrigir erros é que é humano, pois o homem não pode desprezar a sua fantástica capacidade de racionalização ao persistir em atitudes que somente o infelicitam.

Reconhece-se, então, o homem de bem pela capacidade com que ele substitui seus defeitos por virtudes superiores.

                                               *   *   *
Os efeitos dos nossos atos se estendem, muitas vezes, para além da existência atual.

Isso explica os sofrimentos atuais, cujas causas não se encontram no presente.
Várias vezes estamos recebendo hoje os efeitos de nossos atos de vidas passadas.

Nenhum Espírito atinge a perfeição, sem antes reparar os erros do seu caminho evolutivo.

Por isso, hoje é o dia de fazer o melhor!

Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 1, ed. Fep.



7 de dezembro de 2014

Para Refletir...


Um professor de economia em uma universidade americana disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou uma classe inteira. 

Esta classe em particular havia insistido que o socialismo realmente funcionava: com um governo assistencialista intermediando a riqueza 
ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo. 

O professor então disse, "Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe.
Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas." 

Todas as notas seriam concedidas com base na média
da classe, e portanto seriam 'justas'. Todos receberão as mesmas notas, o que significa que em teoria, ninguem será reprovado, assim como também, ninguem receberá um "A". 

Após calculada a média da primeira prova, todos rece -
beram "B". Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas 
os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o 
resultado. 

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos
estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. 
Já aqueles que tinham estudado bastante no início 
resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. 
Como um resultado, a segunda média das provas foi "D". Ninguém gostou. 

Depois da terceira prova, a média geral foi um "F".
As notas não voltaram a patamares mais altos mas as 
desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos
tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma.
No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram aquela disciplina... Para sua total surpresa. 

O professor explicou: "o experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande, o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que não trabalham por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer seu melhor. Tão simples quanto o exemplo de Cuba, Coréia do Norte, Venezuela, Brasil e  Argentina, que estão 
chegando lá.." 

 1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico; 

 2... Para cada um recebendo sem ter de trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber; 

 3. O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa; 

 4. Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la; 

 5. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.

  
                                                                   ENTENDEU...

6 de dezembro de 2014

Somos todos Capazes...




Todos nós somos capazes do melhor e do pior. Não somos tão diferentes como acreditamos ser. Reconhecer isto sem resistência nos dá liberdade para escolher como agir

Eu acredito que o ser humano é bom por natureza e que quando pensa ou age de forma destrutiva, quando mata, se vinga, odeia, critica, manipula, menospreza, etc, quando faz tudo aquilo que consideramos daninho; ele não age a partir do seu SER SUPERIOR, mas sim, porque de alguma forma está desconectado do seu SER. E quanto mais desconectado, maior é o dano que ele faz. 

Por isso é muito importante a Compaixão. Aquele que faz ou deseja mal aos outros, é também vítima de si mesmo, de sua própria desconexão e ignorância de Quem realmente É. Todos nós passamos por momentos de maior ou menor desconexão. Ninguém está isento disso, estamos todos no mesmo barco e a Compaixão nos nutre a todos sem exceção. 

A Compaixão é essa compreensão que está além do julgamento, da condenação. Não é intelectual. Ela vem do mais profundo no nosso coração e nos inspira a caminhar de volta à nossa Essência.

"Não deseje para os outros o que você não deseja para si mesmo". Eu gosto muito de pensar assim e tento agir assim o tempo todo. E gosto de desejar o mesmo bem que eu desejo a mim, também aos outros. 

Talvez nem sempre seja fácil, mas, com certeza, é o caminho mais bonito e gostoso para percorrer. É o caminho dos milagres.



4 de dezembro de 2014

Colega de Trabalho


Veja o que acontece com quem prejudica um colega de trabalho

Não Jogue Pedras







1 de dezembro de 2014

Há Pessoas que Passam pela nossas Vidas...





Todas as pessoas que passam pelas nossas vidas deixam as suas marcas num ir e vir infinito.
As que permanecem é porque simplesmente doaram seus corações para entrar em sintonia com a nossas almas.
As que se vão nos deixam um grande aprendizado .Não importa que tipo de atitude tiveram, mas com elas aprendemos muito...
Com as vaidosas e orgulhosas aprendemos que devemos ser humildes.
Com as carinhosas e atenciosas aprendemos a ter gratidão.
Com as duras de coração aprendemos a dar o perdão.
Com as pessoas que passam pelas nossas vidas  aprendemos também a
Amar e de várias formas. Com amizade, com dedicação, com carinho,
com atenção, com atração, com paixão ou com desejo ...
Mas nunca ninguém nos ensinou e nunca aprenderemos como reagir diante
da "SAUDADE" que algumas pessoas deixam em nós.

Autor Desconhecido

24 de novembro de 2014

Orgulho e Perdão...


Do remorso ao perdão há uma pequena distância, mas o espaço é grande o bastante para residir o orgulho.


Quem já não – ao ser tomado pelo ímpeto e na certeza de estar fazendo a coisa certa – feriu aquela pessoa com quem se convive? Seja numa resposta “atravessada” ou numa atitude grosseira contribuímos de alguma forma com a divisão ou o isolamento das amizades.

Passado algum tempo, já com a “cabeça fria”, percebemos que procedemos de maneira equivocada, ferindo pessoas ou até mesmo nos ferindo.

Refletir sobre o nosso ato nos ajuda a perceber o momento em que agimos precipitadamente; e dessa reflexão vem o remorso, o qual nos prepara para o pedido de desculpas.

Reconhecer que fomos precipitados nos argumentos, significa, muitas vezes, humilhar-se e se fazer pequeno, reconhecer que errou. Perdoar ou liberar perdão não é ter “amnésia” sobre o ocorrido, mas sim, disponibilizar-se a restabelecer o relacionamento abalado.

Do remorso ao perdão há uma pequena distância, mas o espaço é grande o bastante para residir o orgulho. Sentimento este que nos tentará convencer de que o ato de se desculpar ou reconhecer seu erro é atitude dos fracos.

Por outro lado, infelizmente, há pessoas que não aceitam as nossas desculpas. Preferem romper com os laços afetivos em vez de crescer e amadurecer por meio dos exercícios apresentados pela vida. Insistem em manter a irredutibilidade e a prepotência, que pensam possuir, em vez de dar o passo que romperá com as cadeias que as prendem. Talvez querendo cumprir a lei do “olho por olho, dente por dente”, esperam por um momento de revanche. Enquanto isso, desperdiçam tempo e amargam seus dias, remoendo o que já está resolvido para aquele que se dispôs a se desculpar.
A vida é muito curta para se gastar o precioso tempo com comportamentos que não trazem a sustentabilidade de nossas convivências. Pedir ou conceder perdão não nos exige mais do que podemos agüentar.

Sabemos de pessoas que gastam muito tempo buscando motivos para justificar suas infelizes atitudes, fazendo-se de injustiçadas, em vez de adotar gestos de humildade e agir de maneira diferente. Na verdade, elas são vítimas do orgulho, que mata pessoas e sentimentos!

Mais importante – do que lembrar que não devemos desculpar – seria fazer uso da faculdade de reflexão e reconhecer que ninguém está acima dos lapsos e erros. Pois aquele, que errou hoje, poderá ser você amanhã…

Não percamos tempo monopolizando picuinhas, ressentimentos ou retendo perdão. Se uma situação especial o faz refletir – levando-o ao ato da reconciliação –, peça ou dê o perdão e continue a viver com a experiência adquirida.

Situações mal resolvidas afetam outras áreas de nossa vida. Talvez por isso existam ainda alguns problemas não “equacionados” em nossas vidas pois, esses, são reflexos dos fragmentos dos “elos” que deixamos se perder ao longo do caminho.

Texto: Dado Moura



“O perdão não é apenas um sentimento a ser liberado, é uma DECISÃO A SER TOMADA, que nos cura espiritual, física e emocionalmente, além de libertar outra pessoa de uma culpa e também efetuar cura em sua vida!

PERDOAR É AMAR!

23 de novembro de 2014

Amigos Para Siempre (Eternal Friends)




Amigos verdadeiros, são para sempre porque...
não importa a distância, no coração estarão sempre perto.
não importam as diferenças, no coração sempre terão um ponto de acordo.
não importam as brigas, no coração sempre haverá lugar para o perdão.
não importam circunstâncias, sempre haverá um ombro para recostar, mãos para ajudar, olhos para enxergar e chorar de alegria e dor, bocas para expressar as verdades e sorrir.

Amigos, verdadeiros são para sempre, porque quando dois corações se unem, formando um só, DEUS se manifesta ali, através do amor e o amor é mais forte que a morte, é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.

Não se ufana, nem se ensoberbece, apenas ...ama, certamente permanece.


21 de novembro de 2014

Viemos a este mundo...

Vamos partir do seguinte raciocínio: se viemos ao mundo é porque estávamos em outro lugar. Certamente, não era este mundo físico, donde se conclui que era outro tipo de mundo.

Alguns chamam esse outro mundo de espiritual outros de astral. Verifica-se que nós existíamos antes do nascimento. Mas, se não tínhamos um corpo físico, para viver no mundo espiritual, deveríamos ter um corpo, adequado àquele ambiente, e a lógica nos diz que só poderia ser um corpo espiritual.

Há uma vasta literatura que explica porque viemos a este mundo!

Todos nós podemos ter acesso a esses conhecimentos, pois não há mais fogueira para a queima de livros.

Para ser sintético, tentarei fazer uma analogia entre a nossa vida e a vida estudantil. Assim como o pai matricula seu filho na escola para que ele possa instruir-se e crescer intelectualmente, nosso pai, nos propicia um curso no qual cada existência corresponde a uma série escolar.

Conforme vamos assimilando os ensinamentos, somos promovidos, em nossa marcha evolutiva.

Todo sábio já foi uma criança analfabeta, assim como todo anjo já foi um demônio.

A Natureza não dá saltos (lembra?). E ninguém subirá se não for por seus próprios méritos.

Aproveite a vida para aprender e crescer espiritualmente.


Fonte: Laísa S.

20 de novembro de 2014

Ambição e Ganância

O dicionário Aurélio define do seguinte modo as palavras citadas:

Ambição - S. f.: 1. Desejo veemente de alcançar aquilo que valoriza os bens materiais ou o amor-próprio (poder, glória, riqueza, posição social, etc.). 2. Desejo ardente de alcançar um objetivo de ordem superior; aspiração, anelo. 3. Aspiração relativamente ao futuro. 4. Desejo intenso.

Ganância - S. f.: 1. Ambição de ganho. 2. Ganho ilícito; usura. 3. P. ext. Ambição desmedida.

Ganância e ambição andam de mãos dadas. Enquanto a ambição é a mola propulsora do sucesso, a ganância sai “atropelando” tudo e todos para alcançar seus objetivos. Ter ambição é desejar ardentemente; é depositar a mente e a vontade focalizadas num objetivo e se esforçar para que ele se concretize. Entretanto, a ambição sem medida apresenta um caráter muito negativo, pois foge aos limites da ética e do bom senso.

Todos nós precisamos cultivar um pouco de ambição em nossas vidas. Sem ela não há como traçar metas que nos levem ao sucesso, pois não encontraremos motivos para lutar e vencer.

O ganancioso é uma pessoa muito negativa, porque não consegue colocar limites em seus desejos. Suas atitudes são antiéticas e seus caminhos não são motivados pelo respeito ao próximo.

Quando ele conquista algo, esse algo logo perde o valor já que foi apenas um objeto a ser conquistado e não a realização de sua alma. Para este, a busca pelo sucesso é apenas um objeto a mais a ser colecionado: casas, lojas, fábricas, etc.

O homem ambicioso tem grandes planos, mas ao contrário do ganancioso, ele busca realizá-los de acordo com o chamado de sua alma.

Dentro essa ótica, o profissional e a empresa ambiciosos desejam ardentemente vencer, mas usam estratégias limpas, sem precisarem burlar as leis do país, roubar, e praticar atos ilícitos.

Uma coisa você não deve esquecer nunca:
Torna-te aquilo que fazes para o BEM ou para o MAL.

Izzo Rocha

19 de novembro de 2014

Fazer o BEM.....






“Olhe para o lado e veja quantos precisam de um simples apoio, de uma palavra, de uma ação da sua parte para aliviar uma angústia, uma tristeza. 
O que você está esperando?” 

(Izzo Rocha)