Qtd.Visitas ao Blog

Adicione seu email para receber atualizações.

16 de setembro de 2014

Caminho da Maldade...

Aquele que busca o sucesso pelo caminho da maldade e da falsidade para atender a sua ganância desmedida poderá até chegar lá. O que ele não sabe é que dificilmente conquistará a felicidade. 


Lembre-se, a Vida Anda e a Lei do Retorno é implacável. 
Tudo é apenas uma questão de tempo !

Viver em paz é você olhar para o mundo de consciência tranquila e não ter do que se envergonhar. A consciência tranquila é o melhor travesseiro. 

Consegues dormir em paz?

Confiança é algo que as vezes levamos anos para conquistar e apenas alguns minutos para perder. 


Izzo Rocha,

Para Reflexão !!!!





.








4 de setembro de 2014

O Poder e a Magia da Música...











31 de agosto de 2014

Culpas e desculpas...

Mas, não custa dizer

Você já refletiu sobre o que representa a culpa em nossas vidas?
Não há dúvida de que o sentimento de culpa é um dos grandes 
responsáveis por nossa infelicidade.

Quando fazemos algo que nos causa um desconforto íntimo pertinaz, é bem provável que seja a culpa se instalando.

Mas o que fazer para que esse sentimento não se aloje em nossa intimidade e nos traga fortes dissabores?

Parece lógico que a melhor atitude é a que elimina, em definitivo, esse desconforto de nossa alma. E que atitude poderia ser mais eficaz do que um sincero pedido de desculpas?

Todavia, pedir desculpas significa admitir que nos equivocamos, e isso mexe diretamente com nosso orgulho.

O que geralmente fazemos, então? Ficamos remoendo o desconforto e buscamos alguém a quem culpar pela atitude que nossa consciência desaprova.

Não seria mais coerente pedir perdão? Logicamente seria, mas o orgulho muitas vezes nos impede.

O que fazemos, então? Preferimos nos punir de outra maneira. E geralmente optamos pelas enfermidades.

A consciência nos acusa, mas em vez de resolver a questão com a humildade de um aprendiz, preferimos a autopunição velada.

Em vez de pedir perdão, optamos pelo sofrimento. Em vez de aliviar a alma admitindo que somos frágeis e nos equivocamos, preferimos nos esconder sob a máscara de uma perfeição da qual ainda estamos distantes.
Por não admitir as nossas próprias fraquezas, também não as admitimos nos outros, e agimos com um rigor desmedido, infelicitando-nos e infelicitando os que conosco convivem.

Mais sensato seria reconhecer que somos aprendizes da vida, e que todo aprendiz tem o direito de errar, mas tem também o dever de corrigir o passo e seguir em frente.

Como aprendizes da vida, não estamos isentos do erro, da queda, das fragilidades que caracterizam a nossa condição de alunos imperfeitos.

Assim sendo, vale a pena agir como quem deseja crescer, aprender, ser feliz. E para isso é preciso saber pedir perdão, saber perdoar, saber tolerar.

Só não admite erros a pessoa que se julga infalível, perfeita, acima do bem e do mal. E essa, certamente é uma pessoa infeliz.

Se quisermos aprender a ser mais leves e menos presunçosos, observemos as crianças. Elas não têm vergonha de pedir desculpas, não guardam mágoa nem rancor.

Quando se machucam, elas choram. Pedem socorro, reconhecem sua fragilidade. Se não conseguem alcançar algo, pedem ajuda. Para entender as coisas, perguntam várias vezes.

Quando sentem medo, admitem. Pulam no colo mais próximo ou se enroscam no pescoço do amigo ou irmão mais velho.

Isso se chama humildade, isso se chama pureza. Isso se chama sabedoria. É por isso que as crianças aprendem. Elas não têm vergonha de serem aprendizes da vida.

O sentimento de culpa é um detrito moral que fustiga a alma. A pessoa que carrega esse fardo sofre e não admite ser feliz.
Assim sendo, se você não tem a pretensão de ser infalível, perdoe-se, peça perdão, liberte-se desse lixo chamado culpa, e siga em frente.

Texto de Redação do Momento Espírita.


23 de agosto de 2014

Ter um sono tranquilo...


"A vida é cheia de mal-entendidos, não dá para evitá-los. O importante é não deixar que eles cresçam para que tenhamos um sono tranquilo. Na maioria das vezes, as pessoas que nos magoaram não fizeram isso por maldade, mas simplesmente por descuido". Um dos maiores recursos para gerar felicidade é manter a vida sempre em dia. Meu amigo o consultor organizacional Ken O Donnell diz que podemos descobrir o grau de maturidade de uma pessoa de acordo com o tempo durante o qual ela consegue carregar um mal-estar em relação a alguém.

Uma pessoa que tem maturidade percebe facilmente quando alguma coisa está maculando seu coração. É como se fosse uma camisa branca em que um simples pingo de azeite é percebido a distância. Já quem não amadureceu se parece mais com uma camisa preta, que não mostra a sujeira. Quando você presta atenção em si mesmo, é fácil perceber que alguma coisa não está bem nos relacionamentos com as pessoas que ama. Ao notar que criou um mal-estar, prontifica-se a se desculpar com alguém que magoou ou questionar quem magoou você. 

Já quem só se importa consigo mesmo nem sequer é capaz de imaginar que feriu o outro. Quem valoriza os próprios sentimentos tanto quanto os das outras pessoas age de forma diferente: pede desculpas, o que é uma maneira de dizer eu te amo.

Um pedido de desculpas é uma forma de dizer que você tem tamanha sintonia com o outro que é capaz de sentir que uma palavra sua feriu os sentimentos dele. Procurar um amigo para falar de algo que ele fez e que magoou você é uma forma de dizer você é importante para mim. 

Isso acontece raramente porque muitas pessoas preferem deixar pra lá quando estão chateadas com alguém. Pensam que quem ama entende o comportamento do outro. O problema é que nem sempre há um coração assim tão compreensivo e, com o tempo, a situação mal resolvida acaba fazendo com que se afastem do amigo que as magoou. 

A vida é cheia de mal-entendidos, não dá para evitá-los. O importante é não deixar que eles cresçam para que tenhamos um sono tranquilo. Na maioria das vezes, as pessoas que nos magoaram não fizeram isso por maldade, mas simplesmente por descuido. Conversar sobre isso mostra que você é uma pessoa especial. 

Quem tem a sabedoria de manter os relacionamentos livres de incômodos também conserva a cabeça livre de pendências. Quando sabe que tem de fazer alguma coisa, vai lá e faz, parte para o tudo ou nada, pois entende que, enquanto não o fizer, estará com a cabeça ocupada com o problema. 

É incrível como somos capazes de deixar que as pendências se arrastem até o último minuto.


Um jovem, por exemplo, tem de fazer a inscrição para o vestibular. Sabe a data em que as inscrições começam, mas deixa para fazer a dele na semana seguinte e a preocupação de não esquecer já começa a ocupar espaço em sua mente. 

Na semana seguinte, ele arruma um monte de coisas para fazer e deixa para depois. Enquanto isso, a preocupação vai aumentando e só terminará quando a pendência for resolvida. 

Lembre-se: só quem mantém a mente livre de pendências e preocupações tem tempo para ser feliz e olhos para os passarinhos da vida.

por Roberto Shinyashiki

10 de agosto de 2014

Missão Cumprida...

Um Pai sabe que cumpriu a sua missão quando tem a certeza que seus filhos tornaram-se pessoas do BEM, pois possuem humildade, humanidade, caridade e senso de justiça no caráter. Sinto-me vitorioso. Obrigado meus filhos!

Izzo Rocha

2 de agosto de 2014

Recomeçar...




Não importa onde você parou…
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e
necessário “Recomeçar”.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado…
Chorou muito?
foi limpeza da alma…

Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia…

Sentiu-se só por diversas vezes?
é porque fechaste a porta até para os anjos…

Acreditou que tudo estava perdido?
era o início da tua melhora…

Pois é…agora é hora de reiniciar…de pensar na luz…
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Que tal :
Um corte de cabelo arrojado…diferente?
Um novo curso…ou aquele velho desejo de aprender a
pintar…desenhar…dominar o computador…
ou qualquer outra coisa…

Olha quanto desafio…quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te
esperando.

Tá se sentindo sozinho?
besteira…tem tanta gente que você afastou com o
seu “período de isolamento”…
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu
para “chegar” perto de você.

Quando nos trancamos na tristeza…
nem nós mesmos nos suportamos…
ficamos horríveis…
o mal humor vai comendo nosso fígado…
até a boca fica amarga.

Recomeçar…hoje é um bom dia para começar novos
desafios.

Onde você quer chegar? ir alto…sonhe alto… queira o
melhor do melhor… queira coisas boas para a vida… pensando assim
trazemos prá nós aquilo que desejamos… se pensamos pequeno…
coisas pequenas teremos…
já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente
lutarmos pelo melhor…
o melhor vai se instalar na nossa vida.


E é hoje o dia da faxina mental…
joga fora tudo que te prende ao passado… ao mundinho
de coisas tristes…
fotos…peças de roupa, papel de bala…ingressos de
cinema, bilhetes de viagens… e toda aquela tranqueira que guardamos
quando nos julgamos apaixonados… jogue tudo fora… mas principalmente… esvazie seu coração… fique pronto para a vida… para um novo amor…

Lembre-se somos apaixonáveis… somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes… afinal de contas… Nós somos o “Amor”…

” Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do
tamanho da minha altura.”

Carlos Drummond de Andrade. 


21 de julho de 2014

Remorso...

Eis aí um sentimento difícil de enfrentar! Pior do que o ódio, o maldizer, o ciúme, ou qualquer outro estado negativo, o remorso só se expressa quando o indivíduo admite uma culpa, uma traição, um ato mal intencionado, que é o motor dessa sensação tão incômoda.

Na verdade, qualquer ser humano tem grande resistência em aceitar seus próprios erros, ou sua maldade, a qual muitas vezes supera os limites e, sem domínio, se escancara e fere quem está por perto. 

Algumas vezes é com clara intenção, mas em outras acontece como numa explosão incontrolável, possivelmente gerada por um carma, que o indivíduo não reconhece.

Em qualquer dessas situações, o causador do problema tem grande dificuldade de aceitar sua falha, que só aparece quando ele é alcançado pelo próprio remorso. 

Talvez isso ocorra com mais frequência quando o envolvido se julga acima do bem e do mal, e se comporta de uma maneira que pode prejudicar um, ou muitos de seus semelhantes.

Ele é aquele que não gosta de aceitar qualquer crítica, por mais construtiva que seja, pois isso o faria se sentir diminuído e implicaria numa perda de poder e de território, principalmente em circunstâncias de domínio dos demais, seja na vida pessoal, no trabalho, na família ou no amor.

Cometer um erro é fácil. Basta uma desatenção, um momento de estresse e mau humor, uma ação impensada e prejudicamos alguém, ofendemos uma sensibilidade, atrapalhamos um caminho alheio. Muitas vezes, quando percebemos, já o fizemos. Nossa primeira reação é ignorar e tocar a vida: o que está feito, está acabado... Mas a culpa, que vem da consciência intranquila, começa a tecer sua trama e afetar a vida, o sono, a produtividade da pessoa.

A única forma de minorar o remorso é ganhar o perdão de quem se viu prejudicado. Para tanto, é preciso se conscientizar da falha e, humildemente, pedir desculpas. Mas só serve se for com o coração. Parece que perdoar, por ser um ato que reflete desprendimento e quase heroísmo, é muito mais fácil do que pedir a reparação do erro.


Muitas vezes, a pessoa ultrajada está pronta para perdoar e se libertar do problema. Mas sem que o culpado queira, qualquer tentativa de renovação se torna impossível. Nesse caso, por maior boa vontade que o perdoador tenha, ele contínua preso ao culpado, até que o mesmo reconheça sua culpa.

Por isso, se você tem alguma conta a acertar com alguém, procure-o e esclareça a situação, libertando-se enfim do vínculo indesejável. Não sei como vai reagir o culpado, mas você vai se sentir bem melhor.

Por Marina Gold


9 de julho de 2014

Vexame Nacional...

“Não foi a Alemanha que jogou muito, o Brasil é que não joga nada. Mostrou isto desde o início da Copa”.
Faz tempo que digo que Futebol nos dias de hoje é apenas um grande negócio financeiro realizado por clubes, dirigentes, empresários, grandes redes de televisão, empreiteiros, políticos, narradores esportivos e grandes investidores. O Futebol como arte e esporte faleceu há muitos anos atrás”. É por isso que a Copa 2014 foi essa “VERGONHA”.

Joey Barton tem razão quando diz que geração brasileira é pobre. Vários jogadores fracos são transformados em heróis para captação de vultosas quantias financeiras em transações comerciais.

Passei a Copa ouvindo narradores elogiando o Hulk e o Marcelo, mesmo diante de erros absurdos cometidos por ambos nas partidas. Estranho não é mesmo?

O Brasil é o país da manipulação e da indução, somente os ricos e famosos recebem e se beneficiam de todos os privilégios. O povo que se dane! 

Izzo Rocha


Humilhação, fracasso: capas de jornais do mundo destacam vexame do Brasil



1 de julho de 2014

Depressão...

Você tem percebido que uma onda de casos de depressão tem invadido nosso círculo social? Segundo projeções da Associação Mundial de Psiquiatria, em 2020 a depressão será a segunda doença mais comum no mundo, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. 

Estima-se que o Brasil possua 13 milhões de pessoas sofrendo de depressão. No mundo, são 340 milhões e cerca de 850 mil suicídios/ano provocados por ela, de acordo com dados da OMS.
Depressão é diferente de tristeza e infelicidade. Também não é preguiça, falta de fé ou força de vontade. A depressão é uma desordem afetiva, em que a pessoa sente uma persistente tristeza ou vazio, perda de interesse pela vida, sentimentos de culpa ou desvalor, dificuldade de concentração e memória, diminuição da energia, podendo apresentar inclusive ideias suicidas quando parece não mais haver saída ou esperança de melhora. 
Essas pessoas apresentam um desequilíbrio na química cerebral, e seus neurônios não respondem bem aos estímulos e têm sua comunicação prejudicada. Essas alterações podem ser vistas em sofisticados exames de imagem, como o PET scan, que evidencia uma diminuição da função do lobo frontal de cérebro.
Existem muitos fatores que podem contribuir para o surgimento da depressão, por exemplo: fatores genéticos, deficiência de vitaminas, alterações hormonais, estilo de vida inadequado, divórcio e outros problemas conjugais, sentimento de abandono, morte de um ente querido, traumas e maus tratos na infância, etc.
A primeira opção de tratamento que as pessoas buscam são os medicamentos antidepressivos, como a conhecida fluoxetina e a moderna venlafaxina. Em geral, esses medicamentos apresentam efeitos adversos e não resolvem o problema em todos os casos. Não importa quais forem as causas, a depressão tem solução. Porém, muitas vezes o segredo não está na farmácia ou no médico, mas numa maneira diferente de enxergar o sentido da vida e na resolução das causas e conflitos.
Sim, você pode ser feliz! A primeira coisa a ser feita é eliminar da mente os pensamentos negativos. Procure se concentrar nas coisas boas da sua vida.
As pessoas com depressão tendem a concentrar toda a sua atenção e energia em pequenos pontos negativos, e torná-los muito maiores do que verdadeiramente são. Sim, a sua vida tem sentido, existem pessoas que gostam de você, vale a pena viver e há esperança! Lembre-se de que, para Deus, você é muito importante. Ele tem um plano especial e maravilhoso para a sua vida. Você precisa buscá-Lo para descobri-lo.
A sua dieta também influencia a saúde mental. No fim de dezembro, pesquisadores de Londres provaram que comida processada e rica em gordura aumenta o risco de depressão em 58%. Já aqueles com uma dieta rica em vegetais e frutas apresentam chances menores de apresentar os sintomas. Inclua os seguintes alimentos na sua dieta: arroz integral, repolho, couve, castanha do Pará, abóbora, feijão, frutas, cereais integrais e verduras cruas.
Exponha-se ao sol 15 minutos por dia. Faça caminhadas ao ar livre. Se você não sente vontade para dar os primeiros passos, peça para alguém acompanhá-lo (a).

A erva de São João  (Hypericum perforatum) é uma ótima alternativa aos antidepressivos, com eficácia comprovada e menos efeitos adversos. Entretanto, não é recomendado usá-la em combinação com outros antidepressivos e sem recomendação médica.
E o mais importante: aprenda a lidar com os sentimentos. Sinta os sentimentos, mas sem deixar que eles o(a) dominem. “No dia da prosperidade, goza do bem; mas, no dia da adversidade, considera em que Deus fez tanto este como aquele…” (Ec 7:14). 
Busque a paz com Deus e com as pessoas. Perdoe-se a si mesmo (a) e aos outros. 
Tenha paciência… dias melhores virão!

Luiz Fernando Sella

27 de junho de 2014

Persistirei até Vencer...

O fracasso jamais me surpreenderá se a minha decisão de vencer for suficientemente forte.
Eu não cheguei a este mundo numa situação de derrota, nem o fracasso corre em minhas veias. Não sou ovelha à espera que meu pastor me aguilhoe e acaricie, mas um LEÃO e me recuso a falar, a andar e dormir com o rebanho.
Não ouvirei aqueles que se intimidam e se queixam, pois tal doença é contagiosa. Eles que se unam ao rebanho. O matadouro do fracasso não é o meu destino.

Os prêmios da vida estão no fim de cada jornada, não próximo do começo, o fracasso pode ainda se encontrar no milésimo passo, mas o sucesso se esconde atrás da próxima curva da estrada. Jamais saberei a que distância que esta a não ser que dobre a curva.

Sempe darei um passo avante, se este não resultar em nada, darei outro e mais outro. Em verdade dar um passo de cada vez não é difícil.

De hoje em diante, considerarei o esforço de cada dia como um golpe do meu machado no poderoso carvalho. O primeiro golpe pode não causar tremor na madeira, nem o segundo, nem o terceiro. Cada golpe pode parecer insignificante e sem nenhuma consequência, contudo, a custo de tais golpes, o carvalho finalmente tombará. Assim também serão os meus esforços de hoje.

Jamais aceitarei a derrota, evitarei o desespero, mas se esta doença da mente me contagiar, então prosseguirei, trabalharei firme ignorarei os obstáculos sob os meus pés e manterei os olhos firmes nos objetivos acima de minha cabeça, pois sei que onde um deserto árido termina, a grama verde nasce.

Cada “não” que ouvir me trará para junto do “SIM”, pois preciso da noite para apreciar o dia. Devo fracassar muito para alcançar o sucesso definitivo. Cada insucesso considerarei como um mero atraso em relação ao meu objetivo e um desafio à minha profissão. Persistirei e desenvolverei minhas técnicas como um marinheiro desenvolve a sua aprendendo a escapar da fúria de cada tempestade.

Não permitirei que o êxito de ontem me embale na complacência de hoje, pois essa é a grande razão do fracasso.. Esquecerei os acontecimentos do dia anterior, sejam eles bons ou maus e saudarei o novo “SOL” com a confiança de este será o melhor dia da minha vida.

Até o fôlego me acompanhar, persistirei, pois agora conheço um dos maiores princípios da vida “SE PERSISTO O BASTANTE VENCEREI”.

EU PERSISTIREI
EU VENCEREI

Og Mandino

20 de junho de 2014

Reencarnação

Reencarnação é o processo pelo qual o espírito, estruturando um corpo físico, retorna, periodicamente, ao polissistema material. Esse processo tem como objetivo, ao propiciar vivência de conhecimentos, auxiliar o espírito reencarnante a evoluir.



O reencarne obedece a um princípio de identidade de freqüências, ou seja, o espírito reencarna em um determinado continente, em um determinado país, em uma determinada região desse país, em uma determinada localidade dessa região, com determinadas características culturais (idioma, usos, costumes, valores, tradições, história etc.), bem como em uma determinada família, de acordo com a sintonia que a freqüência do seu pensamento consiga estabelecer em relação a cada um desses elementos.
O espírito realiza a reencarnação conscientemente, inclusive traçando o seu próprio plano geral para a existência material que está se iniciando. O espírito reencarnante, de acordo com suas limitações, será mais ou menos auxiliado por espíritos com mais conhecimento e com os quais tenha afinidade. No entanto, se não estiver suficientemente equilibrado ou consciente, será orientado no planejamento de sua passagem pelo polissistema material.
Todavia, reencarnado o espírito, inicia-se o processo de existência corporal no polissistema material. É um processo aberto, pois a trajetória pessoal do encarnado segue o exercício do seu livre-arbítrio. Portanto, não há que se falar em destino, em caminhos previamente traçados.
O espírito encarnado, fundamentando-se em seu existente (a bagagem de conhecimentos e experiências adquiridos ao longo de toda a sua história, seja encarnado, seja desencarnado), passa a exercitar sua capacidade, a constatar e desenvolver suas potencialidades, enfim, passa a construir seu momento presente e seu momento futuro. Vai enfrentando contradições, dificuldades, obstáculos, facilidades, administrando encontros e desencontros, permanecendo no seu plano geral ou se desviando em função de algumas variáveis do processo, mas sempre de acordo com sua vontade.
No exercício do livre-arbítrio, o espírito encarnado vai construindo seu equilíbrio ou seu desequilíbrio, de acordo com a maneira pela qual enfrenta as situações e a vida. Vai, por assim dizer, determinando-se, segundo a natureza de seus pensamentos e atos. Por menos que faça, ou por mais que se desequilibre, o espírito sempre alcança progressos em um ou outro aspecto do seu ser.
A evolução não está necessariamente vinculada ao tempo de vida material, mas à intensidade com que ela é vivida. A quantidade de experiências e o aproveitamento que é feito delas é fundamental para o crescimento do espírito, não importando se as experiências estão sendo vivenciadas no polissistema material ou espiritual.
É de se ressaltar que, entre uma encarnação e outra, o espírito continua trabalhando, continua aprendendo, continua evoluindo, de modo que ele não reencarna no mesmo estágio em que desencarnou.
A Doutrina Espírita trabalha, atualmente, com a hipótese de que o processo reencarnatório envolve os conceitos de missão, provação, expiação e carma.
Vale ressaltar que no entendimento atual da Doutrina, os processos reeencarnatórios apresentam facetas desses quatro conceitos, mas que algumas reencarnações podem apresentar o predomínio de algumas dessas características. Eles não são conseqüência de uma interferência ou controle externo ao espírito reencarnante, descartando-se portanto qualquer idéia de castigo, punição ou recompensa. Eles são decorrentes da lei de causa e efeito e das condições de equilíbrio e harmonia do espírito.
Missão é a situação na qual o espírito reencarnante aplica conhecimentos internalizados a favor de uma pessoa ou do grupo de sua convivência.
Provação é a situação na qual o conhecimento em processo de acomodação e internalização deve ser vivenciado; é a situação na qual o espírito é desafiado ao limite de seu conhecimento.
Expiação não se refere à aplicação de conhecimento, mas, sim, a uma conseqüência de um conhecimento aplicado, que provocou conseqüências difíceis, desagradáveis, muitas vezes dolorosas, que o seu responsável deverá enfrentar.
Carma ainda é um conceito útil dentro da concepção da Doutrina, desde que se esteja atento para o seu significado, diverso do de outras Doutrinas. Para o Espiritismo, carma caracteriza a situação na qual o espírito está enfrentando as conseqüências de atos seus que lhe provocaram um desequilíbrio muito intenso, tanto em qualidade como em quantidade, e que, pela sua intensidade, o espírito poderá levar toda uma encarnação, ou mais de uma, para recuperar seu equilíbrio.
A pessoa em desequilíbrio estará sempre em recuperação tanto pela sua reação própria como pela ajuda de outras pessoas ( curar, aliviar, consolar; conhecimento técnico, moral e afetivo). O que varia é apenas o tempo necessário para que o equilíbrio seja novamente retomado. É importante frisar que as dificuldades que o espírito encarnado encontra em seu cotidiano muitas vezes não são explicadas pela reencarnação. Reencarnação não explica tudo. Há muitas situações de desequilíbrio causadas em sua encarnação atual.
Em resumo, reencarnação não serve para explicar tragédias e desgraças; não serve para esconder a ignorância, não serve como desculpa ao imobilismo; não serve como consolo para aquelas situações que deveriam ser modificadas e não o são; não serve para destacar o passado e paralisar o presente. Reencarnação é oportunidade de aprendizado, é oportunidade de se aplicar o que se sabe e superar as limitações através de vivências sucessivas no polissistema material. Reencarnação é afirmação da unidade e da continuidade da vida.
Fonte: SBEE - Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas. 


13 de junho de 2014

Sexta-feira 13...

Hoje é sexta-feira 13, dia da semana que em diversos anos comemorei o meu aniversário e o ano de 2014 é mais um deles. Pra mim um dia de sorte e felicidade.

Em 13 de Junho comemora-se o dia de Santo Antônio, um santo poderoso em cujo data tive o privilégio de nascer.

Obrigado Deus pela oportunidade de completar mais uma ano de vida.


Abaixo uma homenagem a Santo Antônio:


2 de junho de 2014

Um homem inteligente falando das mulheres...

Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. 

Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.

Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia.

Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. 

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. 

O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. 

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher quem pode!


Luiz Fernando Veríssimo



31 de maio de 2014

A Religião que te faz melhor.

Conta-se que Leonardo Boff, num intervalo de uma conversa de mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, perguntou ao Dalai Lama: “Qual a melhor religião?” O teólogo esperava que ele dissesse: É o budismo tibetano. Ou são as religiões orientais, muito mais antigas que o cristianismo. Mas Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, e afirmou: “A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor”. O teólogo brasileiro, então, perguntou: “O que me faz melhor?”

“Aquilo que te faz mais compassivo; aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...”, sentenciou Dalai Lama. 

No relato acima, Dalai Lama foi ao centro da questão: a religião deve nos ser útil para a vida, promotora de melhorias em nossa alma. Por isto digo, também, aos supostos “adversários” : não haverá religião mais certa, mais errada, mas sim aquela que é mais adequada para as necessidades desta ou daquela pessoa. Se ela estiver promovendo a evolução moral, independente do nome que leve, será uma ótima religião. Como disse Kardec, “toda crença é respeitável quando conduz à prática do bem”. Ao contrário, se ela prega o sectarismo, a intolerância e a violência, é óbvio que ainda não cumpre adequadamente sua missão como religião.

Devemos nos esforçar para entender o sentido da vida, para nos tornarmos melhores; investirmos em tudo aquilo que nos faz mais compreensivos, mais sensíveis, mais amorosos, mais responsáveis. E, evidentemente, qualquer indivíduo pode alcançar este entendimento até mesmo sem religião, sem nem mesmo crer em Deus. Mas, de nossa parte, procuramos dentro de nós aquela religião que nos fale à alma, que nos console e que nos promova como espíritos imortais que somos. Sem teorias, sem sectarismo e, principalmente, sem nos acharmos detentores de toda a verdade. 


Fonte : Fórum Espírita

21 de maio de 2014

Você tem coragem para recuar?

“A vida é tecelã imprevisível, e ponto dado aqui, vez em quando só vai ser arrematado lá na frente." (Caio Fernando Abreu )

Na vida tudo tem o seu momento. Assim como temos estratégias de ataque, temos também que nos preparar com as estratégias de recuo, de defesa.

Sabe quando amanhece e sua esperança já está anoitecendo? Quando a vida pede paciência e você já está "explodindo" de ansiedade? 

Essa é a hora de recuar, de esperar, de ficar à margem de tudo o que você acredita ser o "certo", para olhar de longe, ter nova perspectiva, tomar fôlego e investir de novo na vida com a esperança e a confiança renovada. 

Se sua visão está limitada, experimente olhar mais de longe. Questione, duvide. Alcance novas formas de se enxergar. 

Em certos momentos da vida somos obrigados a recuar para em seguida avançarmos com mais garra e determinação.

Recuar muitas vezes é sinal de FORÇA e CORAGEM. Assumir nossas fraquezas e reconhecer o momento de recuar em determinada situação só demonstra o quanto inteligentes somos.


Pense nisto!



15 de maio de 2014

Autodidata

Conceitualmente “Autodidata” é a pessoa que tem a capacidade de aprender algo sem ter um professor ou mestre ensinando ou ministrando aulas. O próprio indivíduo, com seu esforço particular, intui, busca e pesquisa o material necessário para sua aprendizagem.

Sou um Autodidata” e desde jovem criei o hábito de pesquisar, aprender e criar o meu próprio conceito sobre assuntos que me interessam ou necessito saber.

Ao longo da vida, principalmente a partir do surgimento e ampliação da Internet, percebi que diversas teses, teorias, conceitos, palavras e filosofias passaram a ser disseminadas ao povo apenas com o objetivo de aumentar audiências de televisão e gerar ganhos financeiros.

Hoje muita gente ganha dinheiro e enriquece por conta da ignorância do povo. Qualquer um pode criar uma tese, um conceito, como estou fazendo agora.

Independentemente de ser um conceito correto ou não, sem dúvida alguma, muitos passarão a pensar e agir como eu. O percentual de aceitação/adesão dependerá da amplitude da minha propaganda/divulgação.

É assim que a coisa funciona no Brasil, a indução e manipulação de fatos conduzem a nossa juventude a uma carência de verdades e realidades sem limites. Se uma mentira vai gerar riqueza e popularidade, ela imediatamente se transforma em verdade, infelizmente é assim que acontece.

Diversos professores mal remunerados e despreparados divulgam informações a alunos sem qualquer embasamento técnico/didático, simplesmente repassam conceitos baseados em seu modo de pensar e agir, é por isso que hoje existem tantos alunos cursando faculdade que sequer sabem conjugar um verbo corretamente.

O  “Autodidata” consegue perceber e entender este tipo de situação pois pesquisa, estuda e analisa fatos, informações e situações caso a caso.

O “Autodidata” conquista soberania, capacitação e independência. A parte mais valiosa do processo do autoaprendizado é o regozijo em se conseguir o próprio saber, em conviver com ele, sem depender de outros.

Izzo Rocha