24 de fevereiro de 2015

Você tem coragem para recuar?


“A vida é tecelã imprevisível, e ponto dado aqui, vez em quando só vai ser arrematado lá na frente." (Caio Fernando Abreu )

Na vida tudo tem o seu momento. Assim como temos estratégias de ataque, temos também que nos preparar com as estratégias de recuo, de defesa.

Sabe quando amanhece e sua esperança já está anoitecendo? Quando a vida pede paciência e você já está "explodindo" de ansiedade? 

Essa é a hora de recuar, de esperar, de ficar à margem de tudo o que você acredita ser o "certo", para olhar de longe, ter nova perspectiva, tomar fôlego e investir de novo na vida com a esperança e a confiança renovada. 

Se sua visão está limitada, experimente olhar mais de longe. Questione, duvide. Alcance novas formas de se enxergar. 

Recuar muitas vezes é sinal de FORÇA e CORAGEM. Assumir nossas fraquezas e reconhecer o momento de recuar em determinada situação só demonstra o quanto inteligentes somos.

Em certos momentos da vida somos obrigados a recuar para em seguida avançarmos com mais garra e determinação, ou seja, precisamos “RECUAR PARA VENCER”. 

Acredite, pra tudo tem uma saída, uma solução!

Pense nisto! 


13 de fevereiro de 2015

Acalma o meu Coração.


Um dos piores castigos que podemos receber é o arrependimento pela certeza do mal cometido. Aquele que se arrepende está convicto que seus atos causaram o mal à alguém. Quando isto acontece o sofrimento é enorme, podendo ocasionar ao arrependido enfermidades físicas e psicológicas.
A cura para este mal tão grave, é o perdão, porém para conquistá-lo é preciso ter humildade, fé e coragem.

O primeiro passo é você arrepender-se perante Jesus, perante Deus, isto irá acalmar o seu coração, e através da fé lhe proporcionará a humildade e a coragem necessárias para buscar o perdão junto a quem você prejudicou/humilhou/magoou.

Desta forma o arrependido verdadeiramente percebe e se sensibiliza das conseqüências ruins que seus atos causaram para outras pessoas.

Jesus Cristo sofreu e pagou por nossos pecados para que possamos nos arrepender. O arrependimento nos aproxima de Deus para obtermos o perdão.

"O arrependimento pode ser considerado como a dor sentida por causa da dor causada".
 “O arrependimento é o primeiro passo para o Perdão”.

Acalme o seu Coração!
Vença o Mar da Aflição.
Busque o seu Perdão!


Izzo Rocha

8 de fevereiro de 2015

Um bom emprego.






Ser humilde é tratar seus empregados e ou subordinados com respeito e humanidade. 
(Izzo Rocha)





2 de fevereiro de 2015

Sentimento de Culpa


A nosso favor ou contra nós, em algumas alturas da nossa vida apodera-se de nós um sentimento de culpa. 

Se a interpretação da culpa nos servir, nos engrandecer e for adaptativa e adequada funcionará certamente como um elemento para o nosso desenvolvimento pessoal.

No entanto, muito de nós sentimo-nos culpados com bastante freqüência levando-nos para caminhos autodepreciativos e destrutivos.

É uma parte natural da vida e realmente desempenha uma função adaptativa que nos ajuda a aprender com as experiências dolorosas ou assustadoras.

Apesar da crença comum em contrário, a experiência da culpa não é totalmente negativa, improdutiva e destrutiva. Saiba como lidar com o sentimento de culpa, aprendendo a retirar o que lhe serve, a minimizar os danos e a enfrentar a vida por outra perspectiva.

“Culpa” é o termo que usamos para os sentimentos negativos que repetidamente sentimos quando cometemos um erro que consideramos grave, ou quando fazemos algo que gostaríamos de não fazer ou de não ter de o fazer.

A mente ativa a preocupação, revê vezes sem conta as escolhas ou ações e os resultados envolvidos, experienciamos um enorme sentimento de remorso que, para muitos parece um misto de náusea e um senso palpável de arrependimento muito significativo.

A culpa e o remorso podem trazer-nos esclarecimento, mas aplicado de forma inadequada, podem causar-nos complicações. A culpa pode ser saudável, mas igualmente destrutiva.

Aquilo que dizemos a nós mesmos de forma repetida e recorrente vai ficando enraizado na nossa mente.  O que dizemos a nós mesmos e a forma como dizemos, na verdade, pode ter efeitos enormes. 

É como se algumas partes do nosso interior, os processos mentais inconscientes ficassem mais sintonizados com o que dizemos a nós mesmos em silêncio ou em voz alta. 

É importante ter cuidado acerca da forma como você diz as coisas para si mesmo quando está passando por dificuldades, lutas ou arrependimentos. 

Deve tentar ter o mesmo cuidado ao falar para si, tal como teria se falasse com um amigo que está passando por dificuldades ou que tenha feito algo do qual não se orgulhe.

Por:Miguel Lucas 


29 de janeiro de 2015

Despedida



Existem duas dores de amor:

A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro,  com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado.

Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. 

A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre,  sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou.
Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.

É que, sem se darem conta, não querem se desprender.

Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir,  lembrança de uma época bonita que foi vivida…

Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual  a gente se apega. Faz parte de nós. 

Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis,  mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente,  e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível. 

Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’
propriamente dita. É uma dor que nos confunde. 

Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos
deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por
ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos,  que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. 

É o arremate de uma história que terminou,  externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente… 

E só então a gente poderá amar, de novo.


Martha Medeiros.



28 de janeiro de 2015

Soberba


Soberba é uma manifestação de orgulhode pretensão, de superioridade sobre as outras pessoas. É a arrogância, a altivez, a autoconfiança exagerada.
Soberba é um substantivo feminino, do latim supervia, que significa elevação, presunção, orgulho.
Soberba é uma manifestação negativa que denota pretensão de superioridade, podendo se manifestar individualmente ou em grupo, externada em manifestações ostensivas para menosprezar e massacrar os indivíduos considerados, por eles, como seres inferiores.
O racismo, a xenofobia, o elitismo, o corporativismo, são comportamentos que se caracterizam pela soberba.
Soberbo é aquele indivíduo considerado orgulhoso, altivo, que está dominado pela arrogância. É também um adjetivo que qualifica aquele que é mais alto ou está mais elevado que outro, que tem soberba, vaidoso, grandioso, sublime, magnífico, belo.
Para a Igreja Católica, soberba é um dos sete pecados mortais, e contra ela se prega a virtude da humildade, da modéstia.

Fonte: Significados.

27 de janeiro de 2015

Relações Interpessoais


A Inteligência interpessoal é a capacidade de compreender as emoções e agir corretamente diante das atitudes das outras pessoas, seja relacionado ao sentido de humor alheio, ideias, pensamentos ou qualquer atitude de outras pessoas.

Um indivíduo com a inteligência interpessoal desenvolvida tende a ser positivo, prestativo, humilde, costuma fazer elogios de forma genuína, possui facilidade de interagir e tem talento nato para liderar.

A inteligência interpessoal tem muitos benefícios, mas um dos principais é a criação da empatia, que possibilita um bom desempenho no ambiente de trabalho, isso porque pessoas com esse tipo de habilidade desenvolvida têm uma capacidade maior de identificar as qualidades das pessoas e extrair o melhor delas, organizando trabalhos em equipe e aumentando a produtividade no local de trabalho.

A inteligencia interpessoal pode ser desenvolvida através de atividades que possibilitam o contato com outras pessoas, como dança, teatro, grupo de estudos, terapia de grupo e musicoterapia. Essas atividades aumentam a confiança do individuo em si mesmo, fazendo com que aprenda a respeitar e a lidar com as diferenças, tornando mais fácil a interação com as outras pessoas.

Texto: Tua Saúde.


20 de janeiro de 2015

O Valor das Pessoas

              

Muitas vezes não valorizamos as pessoas que nos rodeiam e que merecem atenção, respeito, orgulho e reconhecimento por tudo que representam e proporcionaram em nossas vidas.

Por incrível que possa parecer, em muitos casos, até mesmo sem perceber, facultamos mágoa e tristeza a estas pessoas.

Não valorizar e não respeitar as pessoas que merecem e que amamos é algo que acontece constantemente. Porque será que agimos assim?

Na vida existem perguntas difíceis e complexas de responder, porém o “Tempo” traz as respostas e revela todos os segredos do comportamento humano.

Afinal, qual o valor e o que representa pra nós uma amizade, um amor?

Não tenha dúvida, muitas vezes somos especiais para alguém, não pelo nosso caráter ou pelo que somos como ser humano, mas apenas pelo interesse que esta pessoa tem em receber vantagens que de algum modo possamos proporcionar. Infelizmente isto é muito comum, é uma realidade.

Por outro lado, somente descobrimos e reconhecemos o “Valor de uma Pessoa” quando ela vai embora definitivamente, seja pela desistência dela de nós ou pelo próprio encerramento da vida.  É neste momento que surge o arrependimento, o remorso e um sofrimento eterno, pelo reconhecimento tardio do nosso erro, da nossa falha.

Não espere o amanhã para pedir perdão, pra dizer eu te amo, estou com saudades.  De repente poderá ser tarde demais e nunca mais terá esta oportunidade.  Ame as pessoas enquanto existe a vida e não depois que elas partirem.

O hoje, o agora existem, o amanhã não sei!

Pense nisso,

Izzo Rocha


9 de janeiro de 2015

Magoar Intencionalmente



O que será uma pessoa sente quando magoa alguém intencionalmente? A vida por si só é cheia de surpresas e o que hoje se faz para o bem ou para o mal um dia retornará ao seu realizador.

Se você não quer mais se relacionar com alguém ou não quer a amizade de um amigo, seja honesto e verdadeiro, converse com ele, exponha a sua decisão, o seu desejo, saia do relacionamento com integridade e respeito, mostre a este alguém que você tem caráter, prove que você é uma pessoa do bem.

Infelizmente não é isto que acontece na maioria das vezes, pois é muito mais fácil humilhar e magoar do que ser justo e correto. Nestes casos o arrependimento quando chega traz consigo enorme sofrimento.

Mágoa é um descontentamento que pode deixar resquícios de sofrimento e tristeza até por toda a vida. A mágoa é uma prisão.

Por vezes é possível perceber a mágoa no semblante, nas palavras e nos gestos de uma pessoa ferida.

O resultado do adoecimento das relações humanas é a mágoa. É um sentimento de amargura que se instala no coração e na alma promovendo a perturbação, o sofrimento e o arrependimento (muitas vezes tarde demais).


Izzo Rocha

8 de janeiro de 2015

Saber Viver



Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, (Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 —Goiânia, 10 de abril de 1985) foi uma poetisa e contista brasileira. Considerada uma das principais escritoras brasileiras, ela teve seu primeiro livro publicado em junho de 1965 (Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais), quando já tinha quase 76 anos de idade.

Mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.

7 de janeiro de 2015

A Vida

        

"Para os erros há perdão;
para os fracassos, chance;
para os amores impossíveis, tempo...

De nada adianta cercar um coração vazio
Ou economizar a alma.

O romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque,
que a rotina acomode,
que o medo impeça de tentar.


Desconfie do destino e
acredite em você.

Gaste mais horas realizando que sonhando,
fazendo que planejando, vivendo que esperando.

Porque, embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu."

Luis Fernando Veríssimo

6 de janeiro de 2015

Nunca deixe de Acreditar

          

Espero que você possa aceitar as coisas como elas são, sem pensar que tudo conspira contra você, porque parte de nós é entendimento...
Mas, a outra parte é aprendizado... 



Que você possa ter forças para vencer todos os seus medos e que, no final, possa alcançar todos os seus objetivos porque parte de nós é cansaço... 
Mas, a outra parte é vontade... 

Que tudo aquilo que você vê e escuta possa lhe trazer conhecimento que essa escola possa ser longa e feliz porque parte de nós é o que vivemos... 
Mas, a outra parte é o que esperamos... 

Que você possa aprender a perder sem se sentir derrotado que isso possa fazer você cada vez mais guerreiro... 
Porque parte de nós é o que temos... 
Mas, a outra parte é sonho... 

Que durante a sua vida você possa construir sentimentos verdadeiros que você possa aceitar que só quem soube da sombra, pode saber da luz... 
Porque parte de nós é angústia... 
Mas, a outra parte é conforto... 
Que você nunca deixe de acreditar
Que nunca perca sua fé
Porque parte de deus é amor... 
E a outra parte também!

Fonte: Mais Você.

5 de janeiro de 2015

Um dia descobrimos

      

Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem!
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como bonzinho não é bom...
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”...
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século, esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem que ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras.
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

Mario Quintana

4 de janeiro de 2015

Não espere...


Não espere um sorriso para ser gentil.
Não espere ser amado para amar.
Não espere ficar sozinho para reconhecer o valor de quem está ao seu lado.
Não espere ficar de luto para reconhecer quem hoje é importante em sua vida.
Não espere o melhor emprego para começar a trabalhar.
Não espere a queda para lembrar-se do conselho.
Não espere a enfermidade para perceber o quanto é frágil a vida.
Não espere pessoas perfeitas para então se apaixonar.
Não espere a mágoa para pedir perdão.
Não espere a separação para buscar a reconciliação.
Não espere a dor para acreditar em oração.
Não espere elogios para acreditar em si mesmo.
Não espere que o outro tome a iniciativa se você foi o culpado.
Não espere o "Eu te amo" - para dizer "Eu também".
Não espere o dia da sua morte para começar a amar a vida.
Eu aprendi que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular”.

William Shakespeare

3 de janeiro de 2015

Aprendi...

              

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto. 

Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las. 

Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando. 

Eu aprendi... Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho. 

Aprendi... Que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas, aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei. 

Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles. Que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem. 

Aprendi que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso. 

Aprendi... Que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas. 

Aprendi que posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel. 

Que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso. 

Eu aprendi... que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, que eu tenho que me acostumar com isso. 

Que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro. 

Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso. 

Eu aprendi... Que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto. 

Aprendi que numa briga eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver. Que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e que quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem. 

Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida. 

Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes. 

Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio. 

Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério. E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos. 

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre. 

Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.

William Shakespeare

2 de janeiro de 2015

Você Aprende...

             

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Nossas dádivas são traidoras, e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.

William Shakespeare



Lembre-se, A Vida Anda


27 de dezembro de 2014

A Última Impressão é a que Fica.

         

Esta história de que  “A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA”, não passa de falácia, de uma grande jogada de marketing.

A realidade é que “A PRIMEIRA IMPRESSÃO POSSIBILITA”, seja um emprego, uma entrevista, um encontro, uma oportunidade, a venda de produtos e serviços, uma amizade, uma paixão, um amor, etc. Assim sendo, a primeira impressão é importante, mas, de fato, a impressão que fica É A ÚLTIMA!

Todos nós já encontramos e ainda vamos encontrar pessoas maravilhosas que nos encantam no primeiro momento, podendo assim surgir uma grande amizade, uma paixão ou até um amor. A vida é assim.

Acontece, porém que muitas vezes a pessoa maravilhosa que nos encantou, ao longo da convivência nos proporciona decepções, humilhações e todo tipo de falsidades e maldades, revelando assim o seu verdadeiro caráter. É esta IMPRESSÃO QUE FICA!

O inverso também é verdadeiro, ou seja, em algum momento você "não foi com a cara" de uma pessoa quando a conheceu, mas depois, com a convivência, descobriu tratar-se de uma pessoa boa, que não era nada daquilo que parecia ser e hoje, quem sabe, são até amigos!

Eu por exemplo, tive amigos que devido ás últimas atitudes praticadas revelaram-se pessoas falsas, de mau-caráter, pessoas do mal. Posso até estar enganado, mas  “A ÚLTIMA IMPRESSÃO É A QUE FICA”. Infelizmente foi esta impressão que ficou, é este conceito que tenho dessas pessoas. Lamentável!

Assista ao vídeo, tem outros exemplos e revelações interessantes sobre este tema.

Lembre-se sempre, "A Vida Anda"
Izzo Rocha

24 de dezembro de 2014

Feliz Natal


Não esqueça do Aniversariante!
O nosso Rei e Mestre Jesus Cristo. 


Lembre-se também que nem todos aqui na terra tem o privilégio e a oportunidade de ter um lar, um abrigo, um emprego, uma refeição, uma família, portanto, sempre que puder ajude e ampare a quem precisa. 

Você que lê esta mensagem com certeza é um privilegiado, pense nisto!


Desejo a todos um Feliz Natal com saúde, paz e fraternidade.

Senhor Jesus, parabéns e obrigado por tudo!

Izzo Rocha

17 de dezembro de 2014

Lição de Vida.

             

Um jovem foi se candidatar a um alto cargo em uma grande empresa. Passou na entrevista inicial e estava indo ao encontro do diretor para a entrevista final. O diretor viu seu CV, era excelente. E perguntou-lhe: 
- Você recebeu alguma bolsa na escola? - o jovem respondeu - Não.
- Foi o seu pai que pagou pela sua educação?
- Sim - respondeu ele.
- Onde é que seu pai trabalha?
- Meu pai faz trabalhos de serralheria.
O diretor pediu ao jovem para mostrar suas mãos.
O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.
- Você já ajudou seu pai no seu trabalho?
- Nunca, meus pais sempre quiseram que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.
O Diretor lhe disse:
- Eu tenho um pedido: quando você for para casa hoje, vá e lave as mãos de seu pai. E venha me ver amanhã de manhã.
O jovem sentiu que a sua chance de conseguir o trabalho era alta!
Quando voltou para casa, ele pediu a seu pai para deixá-lo lavar suas mãos.
Seu pai se sentiu estranho, feliz, mas com uma mistura de sentimentos e mostrou as mãos para o filho. O rapaz lavou as mãos de seu pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que as mãos de seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele se arrepiou quando ele a tocou.
Esta foi a primeira vez que o rapaz se deu conta do significado deste par de mãos trabalhando todos os dias para pagar seus estudos. As contusões nas mãos eram o preço que seu pai teve que pagar por sua educação, suas atividades escolares e seu futuro.
Depois de limpar as mãos de seu pai, o jovem ficou em silêncio organizando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por um longo tempo.
Na manhã seguinte, o jovem foi encontrar-se com o Diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do moço quando ele perguntou:
- Você pode me dizer o que você fez e aprendeu ontem em sua casa?
O rapaz respondeu:
- Lavei as mãos de meu pai e também terminei de limpar e organizar sua oficina. Agora eu sei o que é valorizar, reconhecer. Sem meus pais, eu não seria quem eu sou hoje... Por ajudar o meu pai agora eu percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família.
O diretor disse:
- Isso é o que eu procuro no meu pessoal. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que não coloca o dinheiro como seu único objetivo na vida. Você está contratado.
Uma criança que tenha sido protegida e habitualmente dado a ela o que quer, desenvolve uma mentalidade de "Tenho direito" e sempre se coloca em primeiro lugar. Ignora os esforços de seus pais.
Se somos esse tipo de pais protetores, estamos realmente demonstrando amor ou estamos destruindo nossos filhos?
Você pode dar ao seu filho uma casa grande, boa comida, educação de ponta, uma televisão de tela grande... Mas quando você está lavando o chão ou pintando uma parede, por favor, o faça experimentar isso também . Depois de comer, que lave os pratos com seus irmãos e irmãs. Não é porque você não tem dinheiro para contratar alguém que faça isso; é porque você quer amar do jeito certo. Não importa o quão rico você é, você quer entender. Um dia, você vai ter cabelos brancos como a mãe ou o pai deste jovem.
O mais importante é que a criança aprenda a apreciar o esforço e ter a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.
(Tradução da postagem de Adri Gehlen Korb)