Qtd.Visitas ao Blog

Adicione seu email para receber atualizações.

26 de julho de 2014

Reflita...







25 de julho de 2014

Tudo passa...






21 de julho de 2014

Remorso...

Eis aí um sentimento difícil de enfrentar! Pior do que o ódio, o maldizer, o ciúme, ou qualquer outro estado negativo, o remorso só se expressa quando o indivíduo admite uma culpa, uma traição, um ato mal intencionado, que é o motor dessa sensação tão incômoda.

Na verdade, qualquer ser humano tem grande resistência em aceitar seus próprios erros, ou sua maldade, a qual muitas vezes supera os limites e, sem domínio, se escancara e fere quem está por perto. 

Algumas vezes é com clara intenção, mas em outras acontece como numa explosão incontrolável, possivelmente gerada por um carma, que o indivíduo não reconhece.

Em qualquer dessas situações, o causador do problema tem grande dificuldade de aceitar sua falha, que só aparece quando ele é alcançado pelo próprio remorso. 

Talvez isso ocorra com mais frequência quando o envolvido se julga acima do bem e do mal, e se comporta de uma maneira que pode prejudicar um, ou muitos de seus semelhantes.

Ele é aquele que não gosta de aceitar qualquer crítica, por mais construtiva que seja, pois isso o faria se sentir diminuído e implicaria numa perda de poder e de território, principalmente em circunstâncias de domínio dos demais, seja na vida pessoal, no trabalho, na família ou no amor.

Cometer um erro é fácil. Basta uma desatenção, um momento de estresse e mau humor, uma ação impensada e prejudicamos alguém, ofendemos uma sensibilidade, atrapalhamos um caminho alheio. Muitas vezes, quando percebemos, já o fizemos. Nossa primeira reação é ignorar e tocar a vida: o que está feito, está acabado... Mas a culpa, que vem da consciência intranquila, começa a tecer sua trama e afetar a vida, o sono, a produtividade da pessoa.

A única forma de minorar o remorso é ganhar o perdão de quem se viu prejudicado. Para tanto, é preciso se conscientizar da falha e, humildemente, pedir desculpas. Mas só serve se for com o coração. Parece que perdoar, por ser um ato que reflete desprendimento e quase heroísmo, é muito mais fácil do que pedir a reparação do erro.


Muitas vezes, a pessoa ultrajada está pronta para perdoar e se libertar do problema. Mas sem que o culpado queira, qualquer tentativa de renovação se torna impossível. Nesse caso, por maior boa vontade que o perdoador tenha, ele contínua preso ao culpado, até que o mesmo reconheça sua culpa.

Por isso, se você tem alguma conta a acertar com alguém, procure-o e esclareça a situação, libertando-se enfim do vínculo indesejável. Não sei como vai reagir o culpado, mas você vai se sentir bem melhor.

Por Marina Gold


9 de julho de 2014

Vexame Nacional...

“Não foi a Alemanha que jogou muito, o Brasil é que não joga nada. Mostrou isto desde o início da Copa”.
Faz tempo que digo que Futebol nos dias de hoje é apenas um grande negócio financeiro realizado por clubes, dirigentes, empresários, grandes redes de televisão, empreiteiros, políticos, narradores esportivos e grandes investidores. O Futebol como arte e esporte faleceu há muitos anos atrás”. É por isso que a Copa 2014 foi essa “VERGONHA”.

Joey Barton tem razão quando diz que geração brasileira é pobre. Vários jogadores fracos são transformados em heróis para captação de vultosas quantias financeiras em transações comerciais.

Passei a Copa ouvindo narradores elogiando o Hulk e o Marcelo, mesmo diante de erros absurdos cometidos por ambos nas partidas. Estranho não é mesmo?

O Brasil é o país da manipulação e da indução, somente os ricos e famosos recebem e se beneficiam de todos os privilégios. O povo que se dane! 

Izzo Rocha


Humilhação, fracasso: capas de jornais do mundo destacam vexame do Brasil



1 de julho de 2014

Depressão...

Você tem percebido que uma onda de casos de depressão tem invadido nosso círculo social? Segundo projeções da Associação Mundial de Psiquiatria, em 2020 a depressão será a segunda doença mais comum no mundo, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares. 

Estima-se que o Brasil possua 13 milhões de pessoas sofrendo de depressão. No mundo, são 340 milhões e cerca de 850 mil suicídios/ano provocados por ela, de acordo com dados da OMS.
Depressão é diferente de tristeza e infelicidade. Também não é preguiça, falta de fé ou força de vontade. A depressão é uma desordem afetiva, em que a pessoa sente uma persistente tristeza ou vazio, perda de interesse pela vida, sentimentos de culpa ou desvalor, dificuldade de concentração e memória, diminuição da energia, podendo apresentar inclusive ideias suicidas quando parece não mais haver saída ou esperança de melhora. 
Essas pessoas apresentam um desequilíbrio na química cerebral, e seus neurônios não respondem bem aos estímulos e têm sua comunicação prejudicada. Essas alterações podem ser vistas em sofisticados exames de imagem, como o PET scan, que evidencia uma diminuição da função do lobo frontal de cérebro.
Existem muitos fatores que podem contribuir para o surgimento da depressão, por exemplo: fatores genéticos, deficiência de vitaminas, alterações hormonais, estilo de vida inadequado, divórcio e outros problemas conjugais, sentimento de abandono, morte de um ente querido, traumas e maus tratos na infância, etc.
A primeira opção de tratamento que as pessoas buscam são os medicamentos antidepressivos, como a conhecida fluoxetina e a moderna venlafaxina. Em geral, esses medicamentos apresentam efeitos adversos e não resolvem o problema em todos os casos. Não importa quais forem as causas, a depressão tem solução. Porém, muitas vezes o segredo não está na farmácia ou no médico, mas numa maneira diferente de enxergar o sentido da vida e na resolução das causas e conflitos.
Sim, você pode ser feliz! A primeira coisa a ser feita é eliminar da mente os pensamentos negativos. Procure se concentrar nas coisas boas da sua vida.
As pessoas com depressão tendem a concentrar toda a sua atenção e energia em pequenos pontos negativos, e torná-los muito maiores do que verdadeiramente são. Sim, a sua vida tem sentido, existem pessoas que gostam de você, vale a pena viver e há esperança! Lembre-se de que, para Deus, você é muito importante. Ele tem um plano especial e maravilhoso para a sua vida. Você precisa buscá-Lo para descobri-lo.
A sua dieta também influencia a saúde mental. No fim de dezembro, pesquisadores de Londres provaram que comida processada e rica em gordura aumenta o risco de depressão em 58%. Já aqueles com uma dieta rica em vegetais e frutas apresentam chances menores de apresentar os sintomas. Inclua os seguintes alimentos na sua dieta: arroz integral, repolho, couve, castanha do Pará, abóbora, feijão, frutas, cereais integrais e verduras cruas.
Exponha-se ao sol 15 minutos por dia. Faça caminhadas ao ar livre. Se você não sente vontade para dar os primeiros passos, peça para alguém acompanhá-lo (a).

A erva de São João  (Hypericum perforatum) é uma ótima alternativa aos antidepressivos, com eficácia comprovada e menos efeitos adversos. Entretanto, não é recomendado usá-la em combinação com outros antidepressivos e sem recomendação médica.
E o mais importante: aprenda a lidar com os sentimentos. Sinta os sentimentos, mas sem deixar que eles o(a) dominem. “No dia da prosperidade, goza do bem; mas, no dia da adversidade, considera em que Deus fez tanto este como aquele…” (Ec 7:14). 
Busque a paz com Deus e com as pessoas. Perdoe-se a si mesmo (a) e aos outros. 
Tenha paciência… dias melhores virão!

Luiz Fernando Sella

27 de junho de 2014

Persistirei até Vencer...

O fracasso jamais me surpreenderá se a minha decisão de vencer for suficientemente forte.
Eu não cheguei a este mundo numa situação de derrota, nem o fracasso corre em minhas veias. Não sou ovelha à espera que meu pastor me aguilhoe e acaricie, mas um LEÃO e me recuso a falar, a andar e dormir com o rebanho.
Não ouvirei aqueles que se intimidam e se queixam, pois tal doença é contagiosa. Eles que se unam ao rebanho. O matadouro do fracasso não é o meu destino.

Os prêmios da vida estão no fim de cada jornada, não próximo do começo, o fracasso pode ainda se encontrar no milésimo passo, mas o sucesso se esconde atrás da próxima curva da estrada. Jamais saberei a que distância que esta a não ser que dobre a curva.

Sempe darei um passo avante, se este não resultar em nada, darei outro e mais outro. Em verdade dar um passo de cada vez não é difícil.

De hoje em diante, considerarei o esforço de cada dia como um golpe do meu machado no poderoso carvalho. O primeiro golpe pode não causar tremor na madeira, nem o segundo, nem o terceiro. Cada golpe pode parecer insignificante e sem nenhuma consequência, contudo, a custo de tais golpes, o carvalho finalmente tombará. Assim também serão os meus esforços de hoje.

Jamais aceitarei a derrota, evitarei o desespero, mas se esta doença da mente me contagiar, então prosseguirei, trabalharei firme ignorarei os obstáculos sob os meus pés e manterei os olhos firmes nos objetivos acima de minha cabeça, pois sei que onde um deserto árido termina, a grama verde nasce.

Cada “não” que ouvir me trará para junto do “SIM”, pois preciso da noite para apreciar o dia. Devo fracassar muito para alcançar o sucesso definitivo. Cada insucesso considerarei como um mero atraso em relação ao meu objetivo e um desafio à minha profissão. Persistirei e desenvolverei minhas técnicas como um marinheiro desenvolve a sua aprendendo a escapar da fúria de cada tempestade.

Não permitirei que o êxito de ontem me embale na complacência de hoje, pois essa é a grande razão do fracasso.. Esquecerei os acontecimentos do dia anterior, sejam eles bons ou maus e saudarei o novo “SOL” com a confiança de este será o melhor dia da minha vida.

Até o fôlego me acompanhar, persistirei, pois agora conheço um dos maiores princípios da vida “SE PERSISTO O BASTANTE VENCEREI”.

EU PERSISTIREI
EU VENCEREI

Og Mandino

20 de junho de 2014

Reencarnação

Reencarnação é o processo pelo qual o espírito, estruturando um corpo físico, retorna, periodicamente, ao polissistema material. Esse processo tem como objetivo, ao propiciar vivência de conhecimentos, auxiliar o espírito reencarnante a evoluir.



O reencarne obedece a um princípio de identidade de freqüências, ou seja, o espírito reencarna em um determinado continente, em um determinado país, em uma determinada região desse país, em uma determinada localidade dessa região, com determinadas características culturais (idioma, usos, costumes, valores, tradições, história etc.), bem como em uma determinada família, de acordo com a sintonia que a freqüência do seu pensamento consiga estabelecer em relação a cada um desses elementos.
O espírito realiza a reencarnação conscientemente, inclusive traçando o seu próprio plano geral para a existência material que está se iniciando. O espírito reencarnante, de acordo com suas limitações, será mais ou menos auxiliado por espíritos com mais conhecimento e com os quais tenha afinidade. No entanto, se não estiver suficientemente equilibrado ou consciente, será orientado no planejamento de sua passagem pelo polissistema material.
Todavia, reencarnado o espírito, inicia-se o processo de existência corporal no polissistema material. É um processo aberto, pois a trajetória pessoal do encarnado segue o exercício do seu livre-arbítrio. Portanto, não há que se falar em destino, em caminhos previamente traçados.
O espírito encarnado, fundamentando-se em seu existente (a bagagem de conhecimentos e experiências adquiridos ao longo de toda a sua história, seja encarnado, seja desencarnado), passa a exercitar sua capacidade, a constatar e desenvolver suas potencialidades, enfim, passa a construir seu momento presente e seu momento futuro. Vai enfrentando contradições, dificuldades, obstáculos, facilidades, administrando encontros e desencontros, permanecendo no seu plano geral ou se desviando em função de algumas variáveis do processo, mas sempre de acordo com sua vontade.
No exercício do livre-arbítrio, o espírito encarnado vai construindo seu equilíbrio ou seu desequilíbrio, de acordo com a maneira pela qual enfrenta as situações e a vida. Vai, por assim dizer, determinando-se, segundo a natureza de seus pensamentos e atos. Por menos que faça, ou por mais que se desequilibre, o espírito sempre alcança progressos em um ou outro aspecto do seu ser.
A evolução não está necessariamente vinculada ao tempo de vida material, mas à intensidade com que ela é vivida. A quantidade de experiências e o aproveitamento que é feito delas é fundamental para o crescimento do espírito, não importando se as experiências estão sendo vivenciadas no polissistema material ou espiritual.
É de se ressaltar que, entre uma encarnação e outra, o espírito continua trabalhando, continua aprendendo, continua evoluindo, de modo que ele não reencarna no mesmo estágio em que desencarnou.
A Doutrina Espírita trabalha, atualmente, com a hipótese de que o processo reencarnatório envolve os conceitos de missão, provação, expiação e carma.
Vale ressaltar que no entendimento atual da Doutrina, os processos reeencarnatórios apresentam facetas desses quatro conceitos, mas que algumas reencarnações podem apresentar o predomínio de algumas dessas características. Eles não são conseqüência de uma interferência ou controle externo ao espírito reencarnante, descartando-se portanto qualquer idéia de castigo, punição ou recompensa. Eles são decorrentes da lei de causa e efeito e das condições de equilíbrio e harmonia do espírito.
Missão é a situação na qual o espírito reencarnante aplica conhecimentos internalizados a favor de uma pessoa ou do grupo de sua convivência.
Provação é a situação na qual o conhecimento em processo de acomodação e internalização deve ser vivenciado; é a situação na qual o espírito é desafiado ao limite de seu conhecimento.
Expiação não se refere à aplicação de conhecimento, mas, sim, a uma conseqüência de um conhecimento aplicado, que provocou conseqüências difíceis, desagradáveis, muitas vezes dolorosas, que o seu responsável deverá enfrentar.
Carma ainda é um conceito útil dentro da concepção da Doutrina, desde que se esteja atento para o seu significado, diverso do de outras Doutrinas. Para o Espiritismo, carma caracteriza a situação na qual o espírito está enfrentando as conseqüências de atos seus que lhe provocaram um desequilíbrio muito intenso, tanto em qualidade como em quantidade, e que, pela sua intensidade, o espírito poderá levar toda uma encarnação, ou mais de uma, para recuperar seu equilíbrio.
A pessoa em desequilíbrio estará sempre em recuperação tanto pela sua reação própria como pela ajuda de outras pessoas ( curar, aliviar, consolar; conhecimento técnico, moral e afetivo). O que varia é apenas o tempo necessário para que o equilíbrio seja novamente retomado. É importante frisar que as dificuldades que o espírito encarnado encontra em seu cotidiano muitas vezes não são explicadas pela reencarnação. Reencarnação não explica tudo. Há muitas situações de desequilíbrio causadas em sua encarnação atual.
Em resumo, reencarnação não serve para explicar tragédias e desgraças; não serve para esconder a ignorância, não serve como desculpa ao imobilismo; não serve como consolo para aquelas situações que deveriam ser modificadas e não o são; não serve para destacar o passado e paralisar o presente. Reencarnação é oportunidade de aprendizado, é oportunidade de se aplicar o que se sabe e superar as limitações através de vivências sucessivas no polissistema material. Reencarnação é afirmação da unidade e da continuidade da vida.
Fonte: SBEE - Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas. 


13 de junho de 2014

Sexta-feira 13...

Hoje é sexta-feira 13, dia da semana que em diversos anos comemorei o meu aniversário e o ano de 2014 é mais um deles. Pra mim um dia de sorte e felicidade.

Em 13 de Junho comemora-se o dia de Santo Antônio, um santo poderoso em cujo data tive o privilégio de nascer.

Obrigado Deus pela oportunidade de completar mais uma ano de vida.


Abaixo uma homenagem a Santo Antônio:


2 de junho de 2014

Um homem inteligente falando das mulheres...

Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. 

Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.

Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia.

Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. 

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. 

O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo. 

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher quem pode!


Luiz Fernando Veríssimo



31 de maio de 2014

A Religião que te faz melhor.

Conta-se que Leonardo Boff, num intervalo de uma conversa de mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, perguntou ao Dalai Lama: “Qual a melhor religião?” O teólogo esperava que ele dissesse: É o budismo tibetano. Ou são as religiões orientais, muito mais antigas que o cristianismo. Mas Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, e afirmou: “A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor”. O teólogo brasileiro, então, perguntou: “O que me faz melhor?”

“Aquilo que te faz mais compassivo; aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...”, sentenciou Dalai Lama. 

No relato acima, Dalai Lama foi ao centro da questão: a religião deve nos ser útil para a vida, promotora de melhorias em nossa alma. Por isto digo, também, aos supostos “adversários” : não haverá religião mais certa, mais errada, mas sim aquela que é mais adequada para as necessidades desta ou daquela pessoa. Se ela estiver promovendo a evolução moral, independente do nome que leve, será uma ótima religião. Como disse Kardec, “toda crença é respeitável quando conduz à prática do bem”. Ao contrário, se ela prega o sectarismo, a intolerância e a violência, é óbvio que ainda não cumpre adequadamente sua missão como religião.

Devemos nos esforçar para entender o sentido da vida, para nos tornarmos melhores; investirmos em tudo aquilo que nos faz mais compreensivos, mais sensíveis, mais amorosos, mais responsáveis. E, evidentemente, qualquer indivíduo pode alcançar este entendimento até mesmo sem religião, sem nem mesmo crer em Deus. Mas, de nossa parte, procuramos dentro de nós aquela religião que nos fale à alma, que nos console e que nos promova como espíritos imortais que somos. Sem teorias, sem sectarismo e, principalmente, sem nos acharmos detentores de toda a verdade. 


Fonte : Fórum Espírita

21 de maio de 2014

Você tem coragem para recuar?

“A vida é tecelã imprevisível, e ponto dado aqui, vez em quando só vai ser arrematado lá na frente." (Caio Fernando Abreu )

Na vida tudo tem o seu momento. Assim como temos estratégias de ataque, temos também que nos preparar com as estratégias de recuo, de defesa.

Sabe quando amanhece e sua esperança já está anoitecendo? Quando a vida pede paciência e você já está "explodindo" de ansiedade? 

Essa é a hora de recuar, de esperar, de ficar à margem de tudo o que você acredita ser o "certo", para olhar de longe, ter nova perspectiva, tomar fôlego e investir de novo na vida com a esperança e a confiança renovada. 

Se sua visão está limitada, experimente olhar mais de longe. Questione, duvide. Alcance novas formas de se enxergar. 

Em certos momentos da vida somos obrigados a recuar para em seguida avançarmos com mais garra e determinação.

Recuar muitas vezes é sinal de FORÇA e CORAGEM. Assumir nossas fraquezas e reconhecer o momento de recuar em determinada situação só demonstra o quanto inteligentes somos.


Pense nisto!



15 de maio de 2014

Autodidata

Conceitualmente “Autodidata” é a pessoa que tem a capacidade de aprender algo sem ter um professor ou mestre ensinando ou ministrando aulas. O próprio indivíduo, com seu esforço particular, intui, busca e pesquisa o material necessário para sua aprendizagem.

Sou um Autodidata” e desde jovem criei o hábito de pesquisar, aprender e criar o meu próprio conceito sobre assuntos que me interessam ou necessito saber.

Ao longo da vida, principalmente a partir do surgimento e ampliação da Internet, percebi que diversas teses, teorias, conceitos, palavras e filosofias passaram a ser disseminadas ao povo apenas com o objetivo de aumentar audiências de televisão e gerar ganhos financeiros.

Hoje muita gente ganha dinheiro e enriquece por conta da ignorância do povo. Qualquer um pode criar uma tese, um conceito, como estou fazendo agora.

Independentemente de ser um conceito correto ou não, sem dúvida alguma, muitos passarão a pensar e agir como eu. O percentual de aceitação/adesão dependerá da amplitude da minha propaganda/divulgação.

É assim que a coisa funciona no Brasil, a indução e manipulação de fatos conduzem a nossa juventude a uma carência de verdades e realidades sem limites. Se uma mentira vai gerar riqueza e popularidade, ela imediatamente se transforma em verdade, infelizmente é assim que acontece.

Diversos professores mal remunerados e despreparados divulgam informações a alunos sem qualquer embasamento técnico/didático, simplesmente repassam conceitos baseados em seu modo de pensar e agir, é por isso que hoje existem tantos alunos cursando faculdade que sequer sabem conjugar um verbo corretamente.

O  “Autodidata” consegue perceber e entender este tipo de situação pois pesquisa, estuda e analisa fatos, informações e situações caso a caso.

O “Autodidata” conquista soberania, capacitação e independência. A parte mais valiosa do processo do autoaprendizado é o regozijo em se conseguir o próprio saber, em conviver com ele, sem depender de outros.

Izzo Rocha

14 de maio de 2014

Os Valores Morais e sua Importância na Sociedade

Desde o nascimento nos é ensinado o que é certo e errado e a partir disso reproduzimos os valores impostos pela sociedade. Antes de mais nada, valor moral pode ser definido como "respeito à vida", não apenas a vida individual mas sim a vida coletiva, já que vivemos coletivamente, dependendo uns dos outros.
A última pesquisa de IVH (Índice de Valor Humano) mostrou que na opinião dos brasileiros, de forma geral, o que é necessário mudar no Brasil para a qualidade de vida melhorar de verdade é em primeiro lugar, a educação, seguida de política pública, violência, valores morais e emprego. Já no Estado de São Paulo houve uma variação em relação à opinião nacional, ficando valores morais em primeiro lugar.
De qualquer modo, a discussão sobre os valores morais se mantém em posição de destaque, visto que a sua compreensão é deveras importante para o bom funcionamento da sociedade como um todo. Mas como e quando ficou definido o que é correto e o que é considerado errado do ponto de vista social? Tanto religião quanto o livre arbítrio do homem se relacionam com a construção dos ideais de ética e moral, sendo que estes são passados de geração para geração, numa linha perpétua de integração em nossa sociedade. A religião oferece ao homem os pilares necessários para a interpretação sobre a distinção entre o certo e o errado, e ao homem cabe o livre-arbítrio e bom senso para "moldar" estes pilares de acordo com as necessidades coletivas.
Mas por que os valores morais são tão importantes na sociedade? Ora, eles são os responsáveis pela manutenção da ordem entre as pessoas, sendo inclusive ensinados desde o berço. É fácil imaginar em que situação o mundo se encontraria atualmente caso o homem ignorasse as leis formuladas a partir dos conceitos de ética e moralidade. É certo que o homem possui o direito de ter sua liberdade de expressão e escolha, porém tudo é passivo de limites. Caso contrário, diante de quaisquer adversidades que surgissem em nosso caminho, retornaríamos ao nosso estado primitivo e resolveríamos todos os problemas de maneira antiquada, desprovida de ética e moral, como fazem os criminosos, notadamente não seguidores dos valores morais.
Em síntese, valor moral além de ser um instrumento indispensável para o bom funcionamento da sociedade e integração dos indivíduos nela, também significa respeito à vida. À nossa vida e à vida das pessoas ao nosso redor.
Por: tabata larissa

7 de maio de 2014

A Vida É Tipo Roda Gigante

Como diz o rei dos reis, os humilhados serão exaltados, praticar o bem é a melhor saída, grava aí. A humildade é a essência da vida.

Na escola da vida aprendi como eu chorei e sofri, no sonho eu persisti não desisti de lutar, vi muita gente subir, mas vi o mesmo cair, por humilhar e ferir quem quer só te ajudar. 
Pra alcançar o sucesso eu tive fé fui a luta mas não mudei minha conduta e nem meu jeito de ser.
Te dou lhe um papo na boa quer conhecer uma pessoa, ou dá a ela dinheiro ou lhe da fama e poder. Ela esquece das origens num lembra nem de onde veio, só quer glamour e área vip se tem flash tá no meio, mas só que ela esquece que tudo que sobe , ela finge entender que o que nasce vai morrer. Eu to na pista um tempão não cai de para-queda, quanto maior é altura, mais dolorosa é a queda.
A vida é tipo roda gigante então pra que esculacho, se hoje está em cima amanhã tá embaixo, eu tenho fé que na terra minha missão vai ser cumprida. Porque a humildade é a essência da vida, porque a humildade é a essência da vida, grava ai.
A vida é tipo roda gigante então pra que esculacho, se hoje está em cima amanhã tá embaixo, é o meu Deus que me guia e ele é a melhor saída. Porque a humildade é a essência da vida, porque a humildade é a essência da vida.
Pra alcançar o sucesso eu tive fé fui a luta, mas não mudei minha conduta e nem meu jeito de ser. Te dou lhe um papo na boa quer conhecer uma pessoa, ou dá a ela dinheiro ou lhe da fama e poder. Ela esquece das origens num lembra nem de onde veio, só quer glamour e área vip se tem flash tá no meio, mas só que ela esquece que tudo que sobe desce, ela finge entender que o que nasce vai morrer. Eu to na pista um tempão não cai de para-queda, quanto maior é altura, mais dolorosa é a queda.
A vida é tipo roda gigante então pra que esculacho, se hoje está em cima amanhã tá embaixo eu tenho fé que na terra minha missão vai ser cumprida. Porque a humildade é a essência da vida, porque a humildade é a essência da vida, grava ai.
A vida é tipo roda gigante então pra que esculacho, se hoje está em cima amanhã tá embaixo, esse meu Deus que me guia ele é a melhor saída, porque a humildade é a essência da vida, porque a humildade é a essência da vida.
A vida é tipo roda gigante então pra que esculacho, se hoje está em cima amanhã tá embaixo, esse meu Deus que me guia ele é a melhor saída, porque a humildade é a essência da vida, porque a humildade é a essência da vida.

Mc Andrezinho Shock



6 de maio de 2014

Perdoar...

Saber perdoar a si mesmo e a quem nos fez mal pode não ser fácil, exige maturidade. É uma atitude necessária para se libertar de rancores, evitar doenças e tocar a vida adiante.
Perdoar alguém que lhe fez mal acaba com um ciclo de pensamentos negativos, que só servem para nos derrubar. Perdoar limpa o coração da raiva e da mágoa.

Pense nisto!


4 de maio de 2014

Sobre o Amor, Rosas e Espinhos...

Amor que é amor dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor. 

O amor resiste à distância, ao silêncio das separações e até às traições. Sem perdão não há amor. Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou. 

O amor é equação onde prevalece a multiplicação do perdão. Você o percebe no momento em que o outro fez tudo errado, e mesmo assim você olha nos olhos dele e diz: "Mesmo fazendo tudo errado eu não sei viver sem você. Eu não posso ser nem a metade do que sou se você não estiver por perto." 

O amor nos possibilita enxergar lugares do nosso coração que sozinhos jamais poderíamos enxergar. 

O poeta soube traduzir bem quando disse: "Se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão. Se eu não te amasse tanto assim talvez não visse flores por onde eu vi, dentro do meu coração!" 

Bonito isso. Enxergar sonhos que antes eu não saberia ver sozinho. Enxergar só porque o outro me emprestou os olhos , socorreu-me em minha cegueira. Eu possuia e não sabia. O outro me apontou, me deu a chave, me entregou a senha. 

Coisas que Jesus fazia o tempo todo. Apontava jardins secretos em aparentes desertos. 

Na aridez do coração de Madalena, Jesus encontrou orquídeas preciosas. Fez vê-las e chamou a atenção para a necessidade de cultivá-las. 

Fico pensando que evangelizar talvez seja isso: descobrir jardins em lugares que consideramos impróprios. 

Os jardineiros sabem disso. Amam as flores e por isso cuidam de cada detalhe, porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado. A cada dia, o jardineiro perdoa as suas roseiras. Sabe identificar que a ausência de flores não significa a morte absoluta, mas o repouso do preparo. Quem não souber viver o silêncio da preparação não terá o que florir depois... 

Precisamos aprender isso. Olhar para aquele que nos magoou, e descobrir que as roseiras não dão flores fora do tempo, nem tampouco fora do cultivo. 

Se não há flores, talvez seja porque ainda não tenha chegado a hora de florir. Cada roseira tem seu estatuto, suas regras... 

Se não há flores, talvez seja porque até então ninguém tenha dado a atenção necessária para o cultivo daquela roseira. 

A vida requer cuidado. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só. Elas não sabem viver sozinhas... 

Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá que saber que com ela vão inúmeros espinhos. 

Mas não se preocupe. A beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos... ou não. 

Pe. Fábio de Melo

30 de abril de 2014

Decepção...

Neste mês completei o meu segundo aniversário da cirurgia cardíaca a que fui submetido. Este fato me motivou a falar sobre algo que muito me incomoda e que persiste no meu coração, na minha alma. Vou falar sobre “Decepção”.
A decepção ou desilusão é o sentimento de insatisfação que surge quando as expectativas sobre algo ou alguém não se concretizam.
Geralmente está associada com a tristeza, com a frustração e em alguns casos com a falsidade e a falta de caráter.
Enfrentar e superar os desafios da vida é fundamental, porém sempre existem decepções ou desilusões no amor ou com as amizades que pensávamos ser verdadeiras, mas infelizmente isso é muito comum.
A intensidade da decepção é proporcional a amizade, ao afeto, ao amor e ao carinho que você tem por quem lhe proporcionou tal dor.
Bob Marley já dizia :
 “Às Vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais”.

Pergunto, quem ainda não sofreu algum tipo de decepção? Ninguém passa pela vida sem este momento, se o seu ainda não chegou prepare-se, ele virá. 
Como exemplo de decepção relato a seguir fato ocorrido comigo dias antes da minha cirurgia cardíaca (ocasionado por pessoas que julguei amigas) que muito me magoou:

Foi um momento muito difícil onde eu estava correndo risco de morte precisando de todo tipo de apoio, inclusive de palavras de solidariedade e conforto.

Por incrível que pareça algumas pessoas a quem estendi a mão e apoiei em momentos difíceis da vida mostraram a verdadeira face e de forma surpreendente e inexplicável se negaram a me dizer uma simples palavra de “Boa Sorte” na cirurgia cardíaca que eu ia enfrentar. Fiquei sem chão, sem saber o que pensar, o que dizer. Estas pessoas não imaginam o enorme mal que me fizeram diante da profunda decepção e mágoa que me ocasionaram num momento tão difícil da minha vida. Foi pura maldade!
Eu estava precisando muito fazer este relato, este desabafo era algo muito importante pra mim, agora estou aliviado.
A vida nos prega muitas surpresas e o meu desejo para aqueles que deliberadamente me fizeram o mal é que Deus os abençoe e ilumine pois estão enfermos espiritualmente e necessitam de ajuda.


Lembre-se, Deus tudo sabe, tudo vê!
Nunca esqueça "A Vida Anda"!

Izzo Rocha



22 de abril de 2014

Sentimento de Culpa...

A nosso favor ou contra nós, em algumas alturas da nossa vida apodera-se de nós um sentimento de culpa. 
Se a interpretação da culpa nos servir, nos engrandecer e for adaptativa e adequada funcionará certamente como um elemento para o nosso desenvolvimento pessoal.
No entanto, muito de nós sentimo-nos culpados com bastante frequência levando-nos para caminhos auto-depreciativos e destrutivos.

É uma parte natural da vida e realmente desempenha uma função adaptativa que nos ajuda a aprender com as experiências dolorosas ou assustadoras.
Apesar da crença comum em contrário, a experiência da culpa não é totalmente negativa, improdutiva e destrutiva. Saiba como lidar com o sentimento de culpa, aprendendo a retirar o que lhe serve, a minimizar os danos e a enfrentar a vida por outra perspetiva.
“Culpa”é o termo que usamos para os sentimentos negativos que repetidamente sentimos quando cometemos um erro que consideramos grave, ou quando fazemos algo que gostaríamos de não fazer ou de não ter de o fazer.
A mente ativa a preocupação, revê vezes sem conta as escolhas ou ações e os resultados envolvidas, experienciamos um enorme sentimento de remorso que, para muitos parece um misto de náusea e um senso palpável de arrependimento muito significativo.
A culpa e o remorso podem trazer-nos esclarecimento, mas aplicado de forma inadequada, podem causar-nos complicações. A culpa pode ser saudável, mas igualmente destrutiva.
Aquilo que dizemos a nós mesmos de forma repetida e recorrente vai ficando enraizado na nossa mente.  O que dizemos a nós mesmos e a forma como dizemos, na verdade, pode ter efeitos enormes. 
É como se algumas partes do nosso interior, os processos mentais inconscientes ficassem mais sintonizados com o que dizemos a nós mesmos em silêncio ou em voz alta. 
É importante ter cuidado acerca da forma como você diz as coisas para si mesmo quando está passando por dificuldades, lutas ou arrependimentos. 
Deve tentar ter o mesmo cuidado ao falar para si, tal como teria se falasse com um amigo que está passando por dificuldades ou que tenha feito algo do qual não se orgulhe.
Por: Miguel Lucas